terça-feira, 30 de março de 2010

contra ventos e marés...

«Contra ventos e marés, porque é assim que se faz tudo em Portugal. Qualquer obra de dimensão e com significado enfrenta sempre obstáculos e dificuldades».
Confesso o meu pecado: Estou de acordo com Pinto de Sousa! Claro que reconheço a frase em Mafalda Arnault ou em Eugénia Varela Gomes mas entre tantas inutilidades deste governo o IP2 e o IC5 são realmente obras necessárias que merecem o "contra ventos e marés".

1 comentário:

Anónimo disse...

Quando se é justo...

Não há pecado a perdoar!

C.R