sábado, 31 de dezembro de 2011

Radiografia de 2011













Veio a "troika", foram-se os subsídios e ficou a austeridade. Num ano difícil, em que Portugal foi resgatado, o país confrontou-se com a débil realidade das contas públicas. Houve ainda margem para um instante de assombro: seis pescadores provaram que é possível sobreviver à maior das adversidades. Seja bem-vindo à radiografia de 2011 - basta clicar AQUI.

acho que foi barato?



Que raio de informações financeiras terão sido fornecidas ao Governo para que Cao Guangjing conclua um negócio da EDP com a frase assassina:


Apetece perguntar: O Governo não acha estranho que quem mexia nos números venha agora querer manter-se no mesmo lugar?
Pois é, mas o “barato” sai caro! Mais ou menos três milhões por ano…e quem se lixa é o mexilhão!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

uma boa notícia...para a actual maioria

Em 2011, de Abril a Junho, o défice público havia subido para os 9% do PIB, mais 1,3% que nos primeiros três meses do ano, de Janeiro a Março, quando o défice orçamental ainda estava nos 7,7%

Os dados hoje divulgados pelo INE revelam que, no terceiro trimestre, entre Julho e Setembro, o défice das administrações públicas – Estado, Fundos, Serviços Autónomos (Institutos Públicos, Universidades, Hospitais, etc.), Administração Local e Regional – baixou para os 1615,5 milhões de euros, isto é, 3,8% do Produto Interno Bruto, isto é, menos 5,2% que no trimestre anterior...

agora espero que não embandeirem em arco e se esqueçam da economia!

Lei das Rendas

«A questão dos despejos é uma questão fundamental que se for considerada como uma lei cega, ao que parece é isso que vai suceder, ou seja, sem ter em conta se alguém não paga porque não tem dinheiro, porque é uma família que está no desemprego, se isto não é considerado então não sei como é que o problema é resolvido», afirmou à TSF Romão Lavadinho
«Em relação aos novos contratos parece-nos que as medidas são positivas, de facto a duração de 5 anos que existia era uma duração excessiva, portanto dois anos parece-nos um prazo razoável» disse à TSF Menezes Leitão.

«Num contexto em que as famílias portuguesas vivem cada vez com maiores dificuldades, com o aumento dos impostos e desemprego, aquilo que o Governo vem promover com esta lei é a expulsão das pessoas das suas casas», referiu Rita Calvário.
«Tudo o que seja para agilizar procedimentos, o PS nada tem a opor», começou por dizer o deputado socialista Pedro Farmhouse, acrescentando esperar que a proposta de lei «permita dinamizar o mercado de arrendamento e simultaneamente a reabilitação urbana».
A proposta «é mais um passo na liberalização do mercado do arrendamento, facilita os despejos e, desta forma, retira a habitação a milhares e milhares de famílias». «Representa o novo ataque ao direito à habitação consagrado na Constituição da República», frisou Manuela Pinto Ângelo, do secretariado do PCP. 

Ouçam os ps's e confiram:
a organização de propaganda do Partido Socialista mandou que os seus militantes e apoiantes usem a frase “que a nova lei não seja uma lei de despejos”.

juros a acrescentar ao empréstimo...

De acordo com o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) o Estado deverá precisar de se financiar em 17,4 mil milhões de euros durante o ano de 2012.
Portugal irá recorrer à emissão de linhas com maturidades entre os 3 e os 6 meses, com excepção da altura do ano em que estas colidem temporalmente com a maturidade da linha de Obrigações do Tesouro com um cupão de 5 por cento que vence em Junho de 2012, sendo em Março utilizada uma linha com maturidade a quatro meses.

O IGCP estima que deverão ser realizados dois leilões de Bilhetes do Tesouro por mês. noticias.pt

uma nova “viradeira”

A principal razão invocada pela ainda directora-geral do Orçamento, Maria Eugénia Pires, para se demitir foi facto de o Governo ter decidido acabar com o sistema implementado pelo ex-ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, que impunha um controlo trimestral da despesa pública, visando o cumprimento do défice.
O Jornal Económico apurou que no próximo ano a execução orçamental dos fundos disponíveis será controlada com novas regras e pelo regime duodecimal.

Maria Eugénia Pires foi nomeada para substituir Luís Morais Sarmento no cargo de Director Geral do Orçamento, pelo Governo de minoria do PS.
Luis Morais Sarmento é Secretário de Estado do Orçamento do Governo de maioria PPD/PSD-CDS/PP .

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

juros a acrescentar ao empréstimo... em dia "bom"

O PSI 20 encerrou a sessão de hoje a valorizar 0,39%, para 5.487,86 pontos.
 
 
Os juros exigidos para comprar dívida portuguesa situavam-se em 15,440% a dois anos e a 15,884% a cinco anos.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

juros a acrescentar ao empréstimo...Sobe desemprego em França

O PSI20 a fechar a subir 1,12% para 5461,77 pontos, face a uma Europa mista.
O desemprego em França atingiu em Novembro o mais alto nível dos últimos 12 anos. O aumento, em relação ao ano passado, é de 5,2 por cento, afectando os de menos de 25 anos e de mais de 50 anos de idade.

eu, imbecil, me confesso!

Você, imbecil, porque um chico-esperto fez um grande negócio, deve 1 euro àquele “investidor sem cara” que comprou com o seu dinheiro o EPL que depois lho arrendou. Um euro, que agora lhe tiram do vencimento ou da reforma, a acrescentar às dezenas de euros que mensalmente lhe sacam, por causa de outras negociatas de outros chicos também espertos.
Você, e eu, entre um fado e uma futebolada, não protestámos, não nos queixámos e, principalmente não exigimos responsabilidades.
Óh “você”, que não é “chico-esperto”, acredite, se tivesse sacado aquele euro da caixa, ou estava preso ou tinha uma pulseira no tornozelo, enquanto ele, o “esperto” se passeia por Paris ou se banha no sol cabo-verdiano.
Imbecis! Você e eu!

sábado, 24 de dezembro de 2011

uma "campanha organizada" para vir um “Monti” ou um “Papademos”?

A “campanha eleitoral” continuará até 2015?
É provável porque a "oposição" não está treinada para ser oposição. Perdeu-lhe o jeito, se é que alguma vez o teve!  

Com “os políticos” contemporâneos, somos induzidos a acreditar que democracia só o é, se progressista e de esquerda, preferencialmente, marxista, lenino-estalinista, maoísta ou até Trotsquista, e, claro, em “governo”.
Essas coisas de popular, demo-cristão ou popular-democrata são fascismos para exterminar ou, benevolamente destinadas, a compor a "pintura democrática", como oposição minoritária.

Eles, “os políticos”, sabem que somos um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo do Guerra Junqueiro e que comemos qualquer bacalhau a pataco que nos seja incutido pelas tv-radio-novelas e pelo fute-jornais.
Encanastrados nestas ideias, “os políticos”, mantêm viva, meio ano depois, esta ininterrupta “campanha eleitoral” que dura desde os pec’s do Pinto de Sousa, que vende jornalismos, paga salários a comentadeiros e leva os imbecis do Junqueiro a acreditar que fizeram ponte no feriado e se “esqueceram” de votar nos que não são governo.

Já passámos por isto, lembram-se! Nos tempos da maioria absoluta do Barroso-Lopes-Portas, a constante desinformação, via comunicação – papel, áudio e vídeo -, resultou!
Mas agora, sem a bomba-atómica e o Sampaio, terá o mesmo resultado?
Tudo leva a crer que não: O Cavaco não faz dessas coisas!

Então qual o porquê desta constante campanha onde os tempos de antena daquilo que devia ser oposição, desde uma “visita” a um depósito de idosos até uma qualquer petiscada com militantes, são aproveitados para comentar as acções, apenas as já executadas, dos adversários que até são governo e nunca, nunca se fala nem daqueles nem daqueles velhos, nem dos camaradas-jantaristas? Opor, em Política, é antecipar!

Porque raio é que conselhos e comentários não são ideias novas e são inovadoras?
As decisões Merkozy para a Itália e para a Grécia podem ser a resposta!
Porque tudo nos leva pensar que eles, “os políticos”, preferem para governo os da Goldman Sachs do Monti, do Papademos e do Draghi… ou até a do Borges? Assim o quiseram as esquerdas da Itália e as direitas dos Helénicos e, desconfio, que por cá, também agradaria a alguns Silvas.

Que se lixem os eleitores de há seis meses e as escolhas sonâmbulas que eles fizeram que isto de democracia só o é se progressista e de esquerda ou dos “mercados”!
Até me apetecia acabar com: Festas Boas Senhores "Púliticos"...

boas festas

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

industria da greve sem crise!

O presidente do sindicato dos maquinistas disse à Lusa que "a greve está a decorrer com a realização dos serviços mínimos de forma completa".
O sindicalista afirmou ainda que a paralisação, que se vai prolonga durante sábado e domingo, está a contar com a "adesão da totalidade dos associados do sindicato", ou seja, 1.200 maquinistas da CP. 

A porta-voz da CP afirma que, até às 16:00, tinham sido cancelados 762 comboios devido à greve.
A CP estima um prejuízo de 2,5 milhões de euros com esta paralização, em época natalícia, a somar aos dois milhões de euros que, desde fevereiro, as greves já causaram. pagina1

juros a acrescentar ao empréstimo... ataque à Itália

O PSI20 fechou hoje a ganhar 1% (5332,53 pontos).

A partir de 1 de Janeiro os dirigentes da administração pública estão impedidos de acumular quaisquer outras funções, sejam ou não remuneradas.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

galego, veterano e persistente

juros a acrescentar ao empréstimo... ataque à Espanha e à Itália

O PSI20 fechou hoje a ganhar 1% nos 5332,53 pontos.
Os juros exigidos pelos investidores para comprar dívida portuguesa estão hoje a cair ligeiramente a 2 e 10 anos, enquanto os títulos de dívida espanhola seguem pressionados em todos os prazos.

EDP: do sorriso aos olhos em bico...

A proposta do grupo chinês, a oferta de 2,7 mil milhões de euros pelos 21,35% que o Estado colocou à venda, foi a escolhida pelo Governo.
O Partido Socialista aceita decisão do Governo no processo de privatização enquanto o BE e o PCP qualificam a operação como acto de «gestão danosa».

A Three Gorges promete disponibilizar à EDP cerca de quatro mil milhões de euros, que irão aliviar a dívida de 16,5 mil milhões de euros nos próximos anos. E há ainda a intenção de realizar investimentos industriais de dois mil milhões de euros, com a promessa de apoio à economia nacional na construção de uma fábrica de aero-geradores, vocacionada para o mercado europeu.

O facto de não existirem cláusulas restritivas (venda antes de 4 anos ou quebra acentuada dos mercados e do euro) que existiam nas propostas brasileiras e alemã e uma melhor oferta, foi decisiva na avaliação da proposta vencedora.

Para arquivo: A nova estrutura accionista da EDP:
China Three Gorges: 21,35%; Iberdrola: 6,79%; Caja de Ahorros: 5,01%; José de Mello: 4,82%; Senfora: 4,06%; Grupo BCP: 3,37%; Parpública : 3,70%; Norges Bank: 2,76%; Sonatrach: 2,23%; Banco Espírito Santo: 2,12%; Caixa Geral de Depósitos: 0,61%; EDP: 0,87%; Outros: 40,28%

uma proposta de estado!

O Partido Socialista apelou  ao Governo para que não proceda a qualquer contratualização com o candidato vencedor do processo de privatização da EDP sem que estejam em vigor as normas estratégicas de salvaguarda do interesse nacional.

finalmente uma proposta politica séria… esperemos que o governo a aceite.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

juros a acrescentar ao empréstimo... ataque à Itália e á Grécia

O PIB de Itália recuou 0,2% no terceiro trimestre deste ano face aos três meses precedentes, quando tinha registado um avanço de 0,3% face ao primeiro trimestre, anunciou hoje o instituto de estatística de Itália.
O PSI20 encerrou a recuar para 1,33% (5279,59 pontos).

25 mil milhões em falta...

A Human Rights Watch exigiu hoje ao governo de Angola que explique onde estão os 25 mil milhões de euros em falta nos cofres do Estado, relacionados com a petrolífera estatal Sonangol.
Aquela organização já tinha identificado uma discrepância anterior nos fundos angolanos quando verificou que três mil milhões de euros de receitas petrolíferas que "desapareceram" entre 1997 e 2002, levantando então suspeitas de "má gestão e corrupção".
A HRW recorda o relatório da quinta inspecção do Fundo Monetário Internacional a Angola, divulgado este mês, que indica que existem fundos estatais gastos ou transferidos entre 2007 e 2010 que não foram inscritos no orçamento.
Mas, politicamente mais correcto, o FMI aponta para tal disparidade está na possibilidade de a Sonangol estar a "ocultar os fundos que recebe". noticias.pt

um qualquer “grilo de Pinóquio” diz-me que muito estará aplicado, nome individual, em Portugal e arredores…

nem dá para acreditar!

Pois é! Passaram 180 (cento e oitenta) dias. Só? Parecem anos, quase os “seis”!
Na sua maioria politicamente pouco preparados para governar, o primeiro-ministro é disso o melhor exemplo, os ministros lá vão cumprindo um programa que não é o deles, mas o que lhes foi doado pela gente politicamente preparada que os antecedeu e por uma União Europeia que nos desiludiu.
Claro que a execução do “programa dos outros” atenta contra tudo aquilo que, como diriam as esquerdas, “ganhámos” após a queda do Estado Novo.
Também, porque a herança do corporativismo continua a manifestar-se nos lóbis e nos chega, veiculada pela comunicação que temos, habituada à história do “homem que mordeu no cão”, a imagem que nos chega é má.

Apesar disto, dizem os estudos de opinião, a sensata maioria dos portugueses vai-lhes dando apoio, talvez porque não consiga vislumbrar uma melhor solução.
Realmente este não é o governo que eu queria… mas é o governo que tenho! E como não existem “sampaios” à vista, espero que, pelo menos, não desiludam aqueles que nele confiaram!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

juros a acrescentar ao empréstimo...тройка e PSI20

Para a тройка a dívida pública portuguesa é "sustentável" mas se Portugal não implementar o seu programa de ajustamento fiscal ou se o crescimento económico for reduzido, poderá continuar com níveis superiores a 100% do PIB até 2030.
A Bolsa de Lisboa fechou hoje a valorizar 0,43% para 5.350,82 pontos.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

juros a acrescentar ao empréstimo... fmi, s&p e bes

A S&P corrigiu a notação dos títulos de dívida com garantia estatal emitidos pelo BES para ‘BBB-‘. Com esta nota, esta emissão de dívida do BES é retirada do nível ‘junk', reflectindo uma subida de dois níveis.

e ninguém queria acreditar na invasão...

O General Carlos Azeredo relembra a forma rápida como as tropas inimigas invadiram o território, o desequilíbrio na balança de forças, a rendição em lágrimas do último governador do território a e intransigência de Salazar. Carlos Azeredo conta ainda que em Goa ninguém queria acreditar na invasão, apesar dos preparativos indianos serem evidentes para todos. tsf

domingo, 18 de dezembro de 2011

Seguro “chocado”

Seguro, que ontem jantou em Viseu e hoje em Figueira da Foz participou num almoço de Natal com militantes, mostrou-se hoje “profundamente chocado” com afirmações do primeiro-ministro no sentido de os professores desempregados emigrarem e, também por isso, considera o Passos Coelho “um primeiro-ministro demissionário”, “apaixonado pela austeridade” e a fazer “tudo pelos mercados”.
Seguro frisou também que "já não é a primeira vez que o Governo diz que a solução para os desempregados em Portugal é emigrar". 

Admito que Seguro, hoje, teve uma ideia inovadora: “um primeiro-ministro demissionário”. Claro que agora o Jorge Sampaio já não é o Presidente e o actual dificilmente “irá nessa conversa”.
O que Seguro não mudou foram as estratégias de manipulação através dos média para manter o público alienado, escrito pelo linguista Noam Chomsky no Armas silenciosas para guerras tranquilas (vai na primeira de dez!).
O estranho é que, repetindo-se, esteja a faltar imaginação à máquina de propaganda do Partido Socialista, que sempre nos deslumbrou com novidades e, agora, esteja a levar Seguro, ponto por ponto, a repetir o “caminho do Pinto de Sousa” que, sampaiamente acompanhado, levou à “bomba atómica” da dissolução da Assembleia da República e ao inicio dos seis anos que passámos em plano inclinado.

¿Por qué no te callas?

Passos Coelho, o primeiro-ministro, admite na entrevista ao Correio da Manhã, que os professores portugueses podem olhar para o "mercado da língua portuguesa" como uma alternativa ao desemprego que afecta a classe em Portugal.

Agora serão os professores, amanhã os engenheiros e depois serão os enfermeiros. A estes seguir-se-ão os padeiros, cabeleireiros e electricistas e o restante pessoal da cnp.
Isto é, que fiquem por cá os tansos que continuarão a pagar um ensino caro e ineficiente, além de, claro, uns valetes e gentis damas que tem inicio profissional assegurado nas “J’s” e fim de carreira em primeiro-ministro ou em boys e girls de empresas que os mesmos tansos pagarão.
Nem o Comentador Seguro diria melhor!   
¿Por qué no te callas?

para quê?

as últimas tropas norte-americanas abandonaram hoje o Iraque, após nove anos de guerra que custou a vida a quase 4500 soldados.
para quê?

sábado, 17 de dezembro de 2011

Um Bom Trabalho: Quotas de pesca portuguesa aumentam 6% em 2012

Portugal saiu hoje das negociações das pescas com um aumento global de seis por cento nas suas quotas, o que a ministra das Pescas, Assunção Cristas, considerou um resultado positivo de uma demorada negociação.
"Desta vez aumentámos substancialmente (as quotas), mais seis por cento na globalidade", disse a ministra
Em termos globais, Portugal saiu hoje das negociações sobre as possibilidades de pesca para 2012 com um aumento nas quotas de areeiro (9%), biqueirão (10%), pescada (15%), tamboril (110%, recuperando quotas perdidas em anos anteriores), verdinho (875% em águas territoriais e 531% no sul da Bretanha e Golfo da Biscaia) e bacalhau, que sobe 240 toneladas (quatro por cento)
Nas águas dos Açores e Madeira, a quota de carapau - que é fixada por Portugal, sobe quatro por cento, a do atum voador diminui 22% e a do atum patudo aumenta 22 por cento.
As descidas de quotas acontecem no carapau em águas espanholas (-1%), lagostim (-10%), raias (-9% nas águas territoriais e - 29% na NAFO), cantarilho (-16%), palmeta (5%), abrótea (-17%), espadarte (-15%). mais no expresso
Desta feita a  Associação de Armadores de Pesca Industrial considerou que o Governo português fez um bom trabalho ao conseguir aumentar as quotas de pesca para Portugal em 2012 em seis por cento.
«Foi um acordo muito positivo. Perante o que estava em cima da mesa inicialmente que era uma proposta completamente absurda da Comissão Europeia, penso que o Governo português conseguiu fazer passar a mensagem de que esta situação não podia ser posta em prática», explicou Miguel Cunha. tsf
Os Sindicatos, por qualquer estranha razão, não se pronunciaram...

greve dos médicos terá consequências catastróficas ?

O bastonário da Ordem dos Médicos alertou hoje para as "consequências catastróficas" que a greve às horas extraordinárias poderá ter em serviços de saúde essenciais, como as urgências. dn 

o Estado Corporativo ainda vigora em algumas cabeças...

a culpa é da direita!

A Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Dívida Pública realiza hoje a "convenção de Lisboa", onde irá debater o projecto e eleger os nomes da comissão que procederá à auditoria.
Porque raio é que eu posso prever que os “eleitos” irão concluir que foi os culpados eram todos do governo de direita que aturámos nos últimos seis anos?
Talvez porque os “eleitos” são todos ex. São ex-deputados, ex-secretários de estado, ex-cineastas, ex-etc.

Cesária Évora













      Cise   (1941 - 2011)

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A Standard & Poor's e a Fitch acabam de baixar a notação da Bélgica de AA+ para AA. Um corte apenas de um nível. O país tem visto o risco de incumprimento subir e os juros da dívida estão acima de 5%. Também a Moody's baixou o ‘rating’ belga em dois níveis, para Aa3, e manteve as perspectivas negativas.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

a “escola” Pinto de Sousa para deputados NO

Zorrinho, o líder da bancada socialista, considera que o deputado Pedro Nuno Santos continua a merecer a sua confiança política mesmo depois de ter sugerido que Portugal deve suspender pagamento da dívida mas reconhece que esta imagética foi «provavelmente excessiva» (curiosamente a isenta TSF classifica-a de “animada”).
"Nós temos uma bomba atómica que podemos usar na cara dos alemães e franceses - ou os senhores se põem finos ou nós não pagamos. As pernas dos banqueiros alemães até tremem", avançou o jovem deputado, que além de estudioso da fisica nuclear também se mostrou admirador do póquer, à Rádio Paivense. expresso

O PS parece ter regressado aos idos 79/80 do século passado...mas quem é que ainda se lembra desses tempos onde pontificava, por exemplo, o poeta Alegre

juros a acrescentar ao empréstimo...yuan em alta.

A bolsa de Lisboa fechou em alta, com o principal índice, o PSI20, a ganhar 1,41% para 5.342,74 pontos, em linha com as praças europeias.
Os mercados norte-americanos abriram hoje a negociar em alta, animados pelo anúncio de uma cimeira europeia, que se realizará no final de Janeiro.
O euro atingiu hoje a mais baixa cotação do ano face à moeda chinesa, valendo apenas 8,2393 yuan, menos 0,0241 do que na véspera.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

desemprego sobe ...

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Novembro subiu 6,7% face ao mesmo mês de 2010 e 2,9% face a Outubro, indicam os dados do Instituto do Emprego e Formação Profi ssional (IEFP).
De acordo com o IEFP, os 583.420 desempregados inscritos representavam 84,6% dos 689.844 pedidos de emprego nesse mês, o que representa uma subida de 36.494 desempregados face a Novembro do ano passado.
Assim, há mais 16 mil portugueses sem trabalho no último mês: 61% estão inscritos há menos de um ano e 39% procuram emprego há 12 meses ou mais.

Desta vez o IEFP deixou a “contabilidade” ao nosso cuidado, isto é, não revelou que o total oficial subiu para 12,9%. Um número que está longe de ser o real porque apenas conta os inscritos e esquece todos quantos perderam essa qualidade ou nunca se inscreveram.
Pouco a pouco cada familia vai tendo um caso e se não se nos apresentam soluções ainda menos nos são apresentados, isto é, julgados, os responsáveis!

juros a acrescentar ao empréstimo... e bolsas em queda!



Numa sessão negativa em toda a Europa o PSI 20 fechou a sessão de hoje a perder 1,39%, para 5.268,37 pontos, pressionado pelo sector da banca. Os  títulos do BES caíram mais de 7%.

Peixeiradas...


Passos Coelho inaugurou, em Matosinhos o Centro de Arte Moderna Gerado Rueda, cerimónia onde, quer à chegada quer à partida do primeiro-ministro, houve manifestações de descontentamento de alguns populares e tambem de apoio, tendo na partida das viaturas oficiais havido necessidade da intervenção policial para acalmar os ânimos mais exaltados.  dn
 Agora mais idosas, as peixeiras do costume, e novos reformados indignados estiveram em foco... (não sei porquê mas lembrei-me de Sousa Franco!) 
O certo é que, independentemente de apoios ou desapoios, Passos Coelho teve a sua primeira grande vaia. É a vida!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

juros a acrescentar ao empréstimo...Itália a mais de 7%


O primeiro-ministro confirmou que o Governo espera que o défice de 2011 "não fique acima de 4,5%", adiantando que sem as receitas extraordinárias dos fundos de pensões da banca ficaria perto de 8%. A meta fixada para o défice deste ano era de 5,9 por cento.

os ministros desconhecidos do governo do Sócrates...



Pedro Nuno Santos, o vice-presidente da bancada do PS, acusa o Governo de nada ter feito para impedir a suspensão do investimento da Nissan e afirma que o executivo do Pinto de Sousa “conseguiu este investimento com muito trabalho”.
O que vice.presidente não explica é como se “lançou a primeira-pedra sem haver um protocolo ou memorando assinado.
Pedro Filipe Soares, o ainda deputado do Bloco de Esquerda, pediu esclarecimentos ao Governo sobre as contrapartidas pedidas pela Nissan para a construção da fábrica e a forma como será compensado o município pelo abandono deste projecto. O Bloco quer saber se o Governo vai exigir “a devolução das contrapartidas prestadas à Nissan”.
Ao que parece o bem informado BE conhece a existencia das contrapartidas que o antigo partido do governo desconhece.
Basílio Horta, também conhecido como deputado do PS, que negociou os protocolos e os memorandos do investimento nas baterias, lamentou que o Governo e a Nissan nunca tenham assinado o memorando de entendimento para a nova fábrica de Aveiro, que está no Ministério da Economia “há mais de um ano”. 

Ó Passos! Ó Alvaro! Ó Gaspar! Então vocês tinham o “memorando” desde 2010 e não o assinaram!
O que é vocês faziam no governo do Pinto de Sousa? Acabei de ve-los na reportagem da rtp disfarçados de Sousa, de Passaro, de Silva.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

juros a acrescentar ao empréstimo...

O Tesouro italiano conseguiu colocar hoje 7 mil milhões de euros de dívida com maturidade a um ano, tendo os juros baixado para 5,952 por cento (menos 0,135 que a 10 de Novembro). noticias.pt 
Mais de 5 mil imóveis foram entregues aos bancos nos primeiros dez meses deste ano (690 em Outubro)...

o Veto Britânico à Cimeira…

A maioria dos britânicos concorda com o veto à revisão do tratado europeu, indica uma sondagem publicada hoje no diário The Times, que afirma que 57 por cento dos britânicos aprovam o veto britânico. noticias.pt
Da cimeira saiu um projecto de tratado intergovernamental assinado pelos 17 países da zona euro, que, segundo o Presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, poderá ser alargado a 23 dos membros da UE.
Relembremo-nos dos mais recentes “vetos” à Grã-Bretanha feitos pela Europa Continental:

1588 Armada Invencível (Espanha-Habsburgo)
1806 Bloqueio Continental (França - Napoleão)
1940 Blitz (Alemanha - Adolf Hitler)
2011 Conselho Europeu... (Alemanha, França e outros)
e assim talvez se entenda o "veto" britânico ao "novo" Tratado (apesar de sempre terem estado com "um pé dentro, outro fora" da UE.

domingo, 11 de dezembro de 2011

os "business center" de Portas

“A rede diplomática portuguesa tem de acompanhar os movimentos da economia. O mundo não parou e Portugal tem de estar onde estão os portugueses, onde estão os interesses para Portugal e onde estão as oportunidades de negócio", afirma Paulo Portas.
"Nós acabámos de fazer uma 'revolução tranquila' quanto à diplomacia económica", sublinhou, acrescentando que a "diplomacia política e a diplomacia institucional não desaparecem mas são acompanhadas pela diplomacia empresarial e pela diplomacia de negócios".
Cada embaixada portuguesa deve ser, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, um "business center" para as empresas portuguesas. noticias.pt 

a ideia é boa mas, como quase tudo, vem muito atrasada. Esperemos que resulte!

Comentador Seguro



António José Seguro, que o DN relembra ser o secretário-geral do Partido Socialista, “mantém a determinação de não olhar para o passado”. Nome que não pronuncia é “josé sócrates” e, esquece ou tenta levar-nos a esquecer que foi o PS-Governo que negociou e assinou o Memorando do Nosso Descontentamento. Os últimos seis anos são sempre trocados pela reafirmação de que trabalha com os olhos no futuro…
Se o faz por pudor ou calculismo, é coisa que só o tempo esclarecerá. adaptado do DN

O certo é que segue o caminho da propaganda do seu antecessor e, tal como ele, diariamente aparece na comunicação social que temos, ora como comentarista ora como cidadão sem anteriores responsabilidades, nos almoços-convívio ou em convenções de secções de uma dezena de militantes desde que submissos pmmj andem por perto e transmitam frases ou imagens à medida de La Palisse.
Pouco a pouco esvazia o seu partido de princípios em continuação do que Pinto de Sousa fez na última década.
A entrevista com que Diário de Noticias/TSF o obsequiaram, sabe-se lá porquê, é um conjunto de vulgaridades onde as ideias novas são velhas e as novas são tão vulgares quanto aquelas que, a um outro, aturámos nos últimos seis anos.
Não lhe faria mal ler ou ouvir Mário Soares… ou Francisco de Assis!

sábado, 10 de dezembro de 2011

as boas ideias de AJS!

Seguro, durante um almoço do PS da Lousã, afirmou que o Governo português parece ter "uma paixão pela austeridade", e aconselhou a que os problemas do país se sobreponham aos interesses da "chancelarina" alemã Merkel.
"Aquilo que eu exijo é que o Governo do meu país não tenha a visão dos interesses da Alemanha, mas a visão dos interesses dos portugueses, e das empresas em Portugal". expresso 
Mas Antonio Jose também entende que quer o seu partido a apoiar as propostas do Governo, do Partido Comunista e do Bloco de Esquerda, se elas derem resposta a problemas dos portugueses... noticias.pt 

AJS tem boas ideias...que pena não serem originais!

a caminho do fim?

A Ruptura/FER, corrente interna do BE vai abandonar o partido e quer criar uma nova formação política à esquerda.
Gil Garcia, o líder da Ruptura, refere que o BE é um partido cada vez mais institucional, tem as piores características do PS e do PCP e afirma que a estrutura dirigente do Bloco não lhes deixou outra alternativa porque «Não quer alterar a política, não quer fazer uma renovação, afastou o sector mais à esquerda, que somos nós». sol

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A cimeira Europeia que tinha sido apontada como a derradeira oportunidade para salvar o euro acabou por ser marcada pela recusa do Reino Unido em subscrever um tratado sobre disciplina orçamental. O Novo tratado intergovernamental deverá ser assinado em Março. oje

O PSI20 encerrou hoje a ganhar 1,49%, nos 5546,12 pontos com 16 títulos a valorizar e quatro em terreno negativo. oje

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

O Coelho apoia o Sousa!

O actual primeiro-ministro que não ouviu as declarações do ex-primeiro-ministro sobre o pagamento da dívida, concorda que pagar de uma só vez a totalidade da dívida não faz sentido. rtp 

O ex-primeiro-ministro português explicou hoje, na RTP, a afirmação que fez de que «pagar a dívida é uma ideia de criança», afirmando que falava do «pagamento integral imediato da totalidade da dívida».sol  
Ó Coelho veja aqui o vídeo da TVI e verifique o que o gajo, que nos enganou a todos, realmente disse e agora desmente (com apoio) !

juros a acrescentar ao empréstimo...em baixa!

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu hoje cortar a taxa de juro de referência da zona euro para 1 por cento, enquanto
O Banco de Inglaterra mantém a taxa de juro.
Os juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida soberana de Portugal estão a aliviar na manhã desta quinta-feira.
A dois anos, os juros da dívida soberana portuguesa seguiam a descer dos 16,503 por cento de quarta-feira, para 15,787 por cento.
A cinco anos, a taxa de juro praticada no mercado secundário aliviava dos 15,886 por cento de terça-feira para os 15,629 por cento.
A dez anos, os juros exigidos pelos investidores seguiam a aliviar para os 12,687 por cento, face aos 13,031 registados na véspera (e voltou a subir ao fim do dia...).
As taxas Euribor também estão hoje a cair nos prazos principais.