terça-feira, 22 de março de 2011

Foi aqui na Net…

Ao longo dos últimos dois anos muitos de nós foram ignorados, muitos até silenciados, por economistas, comentadores, politólogos e, claro, por políticos, nos avisos que enviávamos, de viva voz e principalmente nos escritos, aos poucos que nos ouviam ou liam neste local a que poucos acediam.
Foi aqui na Net dos blogs que esteve a resistência. Foi aqui, na Net, que se concentrou o pouco que restava dos que não eram, nem queriam ser, os boys do regime. Mas também aqui fomos combatidos por funcionários pagos por eles…
Também a chamada “comunicação social”, embalada pelo canto da sereia governamental ajudou ao festim, e encheu-nos das maravilhas que quem nos governava nos ia dar neste paraíso onde o estudo e trabalho seriam pecado.

No local próprio apenas Portas, Louçã e Sousa nos correspondiam. Lembram-se como os jornaleiros os tratavam? Eram o Portas das Feiras, o Louçã Chique e o Sousa Caviar.

De repente, hoje, todos apareceram com olhos abertos, como se virgens ainda fossem.
Nada melhor que um naufrágio para conhecermos os ratos…
A partir de agora muitos ai estarão com os cantos das sereias, para ler, ver e ouvir, com que, mais uma vez, nos irão embalar.

Seguramente por isso não podemos esquecer a benzina do Eça, o raticida da Ratol e, especialmente, devemos perder a nossa costumada serenidade e lembrarmo-nos da Islândia!

Esqueci-me do novo ídolo dos comunicantes: Passos Coelho… mas ele nunca esteve cá!


Sem comentários: