quinta-feira, 17 de março de 2011

estamos em ruptura financeira?

A lógica "ou eu ou o FMI", instituída por Pinto de Sousa, foi recuperada pela propaganda governamental.
Teixeira dos Santos que afirma "inviabilizar a actualização do PEC é empurrar o país para a ajuda externa".
Manuel Silva Pereira, ministro da presidência diz que o não ao PEC IV "constitui uma ameaça para uma ruptura quase imediata da capacidade de financiamento do Estado”.
Para o ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, o chumbo ao PEC é "o início de um filme de terror".
Até Osvaldo Castro aparece a afirmar que estamos perante uma "questão de salvação do país da bancarrota" e o peso pesadão Capoulas Santos, director da campanha José Pinto de Sousa à conquista do congresso do PS, acusa o PSD de querer a intervenção do Fundo Monetário Internacional: "A intervenção do FMI é mais fácil, entram aqui sem dó nem piedade, mas o PSD não tem coragem para o dizer"…

afinal o que é que se passa?
Parece que estamos, como em 78, sem dinheiro para importar o que precisamos para comer, para pagar salários e pensões?
Isto é, estamos mesmo em ruptura financeira!

Sem comentários: