domingo, 18 de julho de 2010

com papas e bolos...

Helena André que “Do alto do seu gabinete, a 50 metros de altitude, vê Lisboa inteira e até o Terreiro do Paço, onde o ministro Teixeira dos Santos regula o fluxo financeiro que a crise permite aumentar ou diminuir na gestão do País.” (sic dn ) entrevistada pelo oficioso Diário: Diário de Noticias - Um congelamento que, com a inflação prevista de 1,4%, com aumento zero, será um corte salarial? Helena André - Não, porque há o ajustamento à inflação. Diário de Noticias - Portanto, vai haver no mínimo 1,4% de aumento? Helena André - O ajustamento é esse. Realmente ao longo da entrevista, a ministra André, não refere que a Função Pública será aumentada, mas essa será em manchete e em texto, a conclusão do "colega" Público.
…seria um bom sinal, mas com mais de 600 mil desempregados, os aumentos, para os que tem emprego, só nos impostos.!
actualização: Considerando que a manchete do jornal é um «equívoco que resulta de um mal entendido», Helena André frisou posteriormente que não fez qualquer anúncio do governo relativamente a aumentos salariais na administração pública», até porque não lhe «compete» fazê-los. tsf O DN passou a gravação da entrevista e surge-nos mais uma trapalhada. De imediato o PCP interpretou que a governante admite um novo ataque aos ordenados e o BE falou no «desnorte» da ministra do Trabalho e ambos têm razão. Quem te manda a ti, ministra, tocar rabecão...

2 comentários:

Gaivota Maria disse...

Por favor, é capaz de me dizer em que orgão noticioso ela vai desdizer o que acaba de dizer?

Gaivota Maria disse...

Já está feita a declaração. Fomos nós que interpretamos mal!!!