sábado, 6 de novembro de 2010

quem não deve...

A primeira reacção do partido que apoia este ainda governo à proposta de responsabilização civil e criminal por maus resultados na gestão da coisa pública foi “perplexa”. «Confesso que como jurista essas palavras me deixam algo perplexo. Não sei se o doutor Passos Coelho sabe exactamente o que é a responsabilidade civil e criminal. Concordo com a necessidade de existência de uma cultura de responsabilidade, mas em democracia o que incide sobre os políticos é sobretudo a responsabilidade política, o risco que correm de serem penalizados politicamente», advertiu Vitalino Canas. Canas não considera normal «ameaçar com responsabilidade civil e criminal nos regimes democráticos» e alerta que nas circunstâncias actuais, dado o nervosismo dos mercados, os políticos têm que ser mais prudentes no que dizem. Ora bem, ninguém precisa de se preocupar porque dificilmente o partido do Dr. Passos Coelho deixará avançar tal proposta… Ainda se estivéssemos na Islândia onde antigo primeiro-ministro e o ex-governador do Banco Central foram acusados de negligência por decisões que levaram ao colapso financeiro do país em 2008 e muitos mais se lhes foram juntando.
... mas por cá, para que tal avançasse, seriam precisos novos abris e novembros.

Sem comentários: