segunda-feira, 7 de maio de 2012

um “negócio” que faliu.

Durante algum tempo, esperemos que pouco, iremos assistir às “grandes vitórias” que os políticos que temos obtiveram na estranja mesmo que por entrepostos partidos.
Os nossos rosas andarão enfunados com a vitória gaulesa apesar de se saber que até o “rato mickey” ganhava ao senhor merkel e que agora se seguirá uma merkolandia.
Como a fruta que já começa a estar fora de época, os laranjas irão salientar a enorme vitória do seu helénico “partido europeu” apesar dele ser de cor mais azul-escuro que abóbora.  
Para os lados do folclore canhoto se clamará o triunfo grego que não foi mais que um desesperado canto de cisne e apenas serviu para protesto à qualidade dos frutas e dos flores que nos andaram vender. 

A reacção dos mercados foi imediata e indica-nos que ficámos pior, mesmo que à partida já soubéssemos que não iríamos ficar melhor e, agora sim, os primeiros a sair serão os gregos que, provavelmente, nos irão arrastar para fora desta europa que nada, ou quase nunca, teve alguma coisa a “ver connosco”.
Terá sido, uma aventura continental que não resultou ou, mais apropriadamente, um negócio europeu que faliu?

Sem comentários: