sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

mais excepções e adaptaçoes do OE2011

BOA Cada hospital deve cumprir os planos de contenção de despesa mas o corte de 15 por cento nos custos operacionais do próximo ano fica agora sem efeito. Isto é. as medidas previstas relativamente ao sector empresarial do Estado já não são de aplicação genérica. Uma boa medida que pode evitar o colapso de muitas unidades hospitalares mas não deixa de ser o resultado de um Orçamento de Estado feito "em cima do joelho" PÉSSIMA O presidente do Governo regional dos Açores decidiu atribuir um subsídio aos funcionários públicos para os compensar dos cortes de 5% nos salários decidido pelo Executivo. A medida aplica-se aos cerca de 3700 funcionários públicos do arquipélago, que têm um ordenado entre os 1500 e os 2000 euros brutos. O governo açoreano torna visivel a politica do "...há uns mais iguais que outros". Basta olhar para os funcionários, de identicos níveis, mas ao serviço da Républica, os judiciais são exemplo, que não terão direito ao "subsidiozinho"... Pode ser uma medida do César, mas não é de César...

Sem comentários: