quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

"ele" chama-lhe "eventual reforma laboral"

O ainda primeiro-ministro já admitiu uma reforma das leis laborais que menos de um mês antes dizia não fazer, mas remeteu para os «próximos dias» mais pormenores. Entretanto, Pinto de Sousa, fez saber que havia reunido com a ex-sindical ministra André, com o intitulado ministro da economia Silva e com os eternos dirigentes das centrais sindicais, para "começar a discutir as iniciativas que o Governo quer aplicar para incentivar o crescimento económico, a competitividade e o emprego". Sousa irá também reunir-se com os seus deputados para discutirem(?) a tal eventual alteração às leis laborais.
A ministra diz que "é «precipitado» falar em alterações ao código laboral, insistindo ser necessário antes de mais «optimizar» a actual legislação". O ministro garantiu que «o Governo não pretende alterar aspectos fundamentais como os despedimentos individuais». O deputado de Assis, pós governamental reunião, afirmou que «não abordámos especificamente esse assunto mas ficou decidido que haverá brevemente uma reunião dos nossos deputados que trabalham nessa área com os membros do Governo que dirigem esse sector». As Centrais Sindicais proferiram um "não" e um "nim". Os que "neles" votaram continuaram ásnicamente a fazer compras "á francesa" como se fossem alemães porque ainda não perceberam que, em breve, se vão ver gregos... E eu,
Eu começo a ficar farto de andar a distribuir as "pérolas" da parabola.

Sem comentários: