quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

dias estranhos

Durante mais de uma semana fomos sendo convencidos que finalmente “il comendatori” italiano iria ser “corrido” do governo. Hoje verificámos que passou por três votos e 40 feridos. Parece que o senhor vai poder continuar a gostar de mulheres e a não gostar de corridas.
Que raio de gente é esta que em vez de nos noticiar nos quer influenciar!
 
Muito escondidos, nas páginas interiores dos jornais, parece que andam por cá os senhores do FMI a “examinar as reformas estruturais” e vão dando instruções. As que Pinto de Sousa e à malta que o acompanhará ao “último apaga a luz”, irão cumprir e levar à Bruxelas onde a democrática Merkel vai avançando com a blitzkrieg do novo "Império dos mil anos" da sua Republica.
Consolem-se os tolos. Ainda esta semana um Sousa telegénico nos virá comunicar a nova versão da desgraça que ainda não percebi se é “a crise” ou a sua continuação berlusquiana na Possidónio da Silva.
Reverente e medrosamente os nossos “pequenos e muito médios jornalistas” também nisto nos irão influenciar em vez de nos noticiar.
 
São dias estranhos na voz, na escrita e nas imagens dos noticiadores cá do burgo que deixaram “escapar” a lição de politica “à séria” que ontem Soares e Amaral nos deram na TVI24. Se não viu talvez ainda o possa fazer via internet. Uma lição de 45 minutos a não perder.

Sem comentários: