terça-feira, 27 de novembro de 2012

juros a acrescentar ao empréstimo...


O PSI20 fechou a cair 0,87% para 5.247,65 pontos.
O euro perdeu 0,3% para 1,2933 dólares.
O barril de ‘brent' desvalorizou 1,11% para 109,69 dólares.
A Assembleia da República aprovou, em votação final global, o OE 2013.
O presidente do Eurogrupo garantiu que as novas regras acordadas para o empréstimo à Grécia serão também aplicadas a Portugal e Irlanda.
Portugal e a Irlanda não vão participar na redução das taxas de juro cobradas nos empréstimos à Grécia enquanto estiverem a receber assistência financeira.
(finalmente) Ficaram reunidos os elementos necessários para que os Estados-membros lancem os procedimentos nacionais necessários com vista a que a oficialização do desembolso da próxima tranche de ajuda à Grécia, que ascenderá a 43,7 mil milhões de euros ocorra já no próximo mês.
As infra-estruturas das ilhas, Lisboa e Setúbal foram as mais afectadas no trimestre em que se iniciou a greve dos trabalhadores portuários. O movimento de mercadorias nos portos caiu mais de 8%.
O Governo fixou os serviços mínimos para a greve nos portos de Lisboa e Setúbal, que se inicia na quarta-feira e se prolonga até 5 de Dezembro.
O Sindicato dos Estivadores, etc., entregou novo pré-aviso de greve para o período entre as 8 horas do dia 10 de Dezembro e as 8 horas do dia 17.
Os custos operacionais das empresas públicas de transportes diminuíram 10,7% nos primeiros nove meses deste ano face ao mesmo período de 2011.
Os juros da dívida soberana aliviaram em praticamente todos os prazos em Portugal, Grécia, Espanha e Itália, depois do acordo para um novo apoio financeiro à Grécia.
 
A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) prevê:
que a economia portuguesa se contraia 1,8% em 2013, quase o dobro do que esperam o Executivo Português e a Troika (1%) e que Portugal só irá cumprir as metas para o défice em 2013 e 2014 com recurso a medidas adicionais, solução que não aconselha,
(mas as exportações portuguesas aumentaram, só para a China 40%, nos primeiros dez meses de 2012, apenas abrandando o crescimento face à actual greve dos estivadores)
que a política de reformas estruturais "amigas do crescimento" levadas a cabo por Itália melhoraram as perspectivas económicas, mas apenas a longo prazo,
(mas o Tesouro italiano colocou 3.500 milhões de euros a dois anos a uma taxa de juro inferior à verificada em leilão anterior com características idênticas e ao nível mais baixo desde Outubro de 2010)
que a economia britânica terminará o ano em recessão com uma contracção de 0,1% do Produto Interno Bruto, invertendo em 2013 para um crescimento de 0,9% e que em 2014 quase duplicará para 1,6%,
(mas o Departamento Nacional de Estatísticas britânico organismo refere que o Produto Interno Bruto cresceu 1% no terceiro trimestre, face aos três meses anteriores)
que a economia espanhola deverá registar uma contracção de 1,3% este ano e 1,4% no próximo, voltando ao crescimento em 2014,
(mas o Tesouro Espanhol colocou hoje 4,09 mil milhões de euros em bilhetes do Tesouro a três e seis meses com taxas mais baixas que as registadas nas emissões de Outubro, com idênticas características)
que a economia chinesa deverá crescer 7,5% em 2012, a taxa mais baixa numa década, e embora se prevejam melhorias, a China não deverá crescer acima de 9% nos próximos dois anos.

Sem comentários: