sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

explorar a ignorância


A afirmação mais estúpida dos últimos anos é: “ ele tem que explicar a quem é que as vendeu! ”
No tempo em que me sobrava dinheiro e, em simultâneo, os governos andaram a desnacionalizar, os civis “capitalistas” começaram a criar empresas e a Bolsa ficou animada, pareceu-me uma boa ideia ir aplicando as minhas sobras em acções.
Comprava “barato”. Com as sobras ia às “emissões” e adquiria o que aparecia sempre a menos de 100 ou duzentos escudos. Estávamos no tempo que a Senhora Tatcher chamou de “capitalismo popular”, algo que realmente nunca chegámos a ter cá pelo burgo.
Durante um tempo, infelizmente curto, o valor das minhas aquisições foi subindo e quando entendia que já tinha acumulado o suficiente ou a desgraça nacional me fazia deixar de ter sobras, dava “ordem de venda”.
Porra! Sei lá a quem é que “eles” foram vender as minhas acções!
Por minha sorte não sou candidato a nada! Sei lá quem é comprou "minhas acções-sobras"!

Mas o que me mais me incomoda é o “ele tem que explicar” replicado em tudo quanto ainda é comunicante.
Uma enorme demonstração de ignorância do funcionamento do sistema bolsista, porque não acredito que seja má fé…

para mim este assunto termina  aqui e fica demonstrada a inacreditável ignorancia daqueles que nos “informam”

1 comentário:

Gaivota Maria disse...

Como,Graças a Deus, eu só tenho más acções vou tentar que ninguém me proponha para Presidente da Junta da Freguesia