quarta-feira, 27 de abril de 2011

Site Despesa Pública ficou "em baixo"

Dezenas de entidades públicas assinaram nos últimos anos contratos por ajuste directo no valor global de cerca de 800 mil euros com empresas que ainda não tinham sido constituídas, revela o novo serviço online Despesa Pública.
O site Despesa Pública (http://www.despesapublica.com/), foi lançado com o lema "Saiba onde, como e por quem é gasto o dinheiro dos contribuintes". Cruzando dados oficiais da criação de empresas e dos ajustes directos (sem concurso público), o site permite chegar a "alguns resultados bastante curiosos e de carácter duvidoso", nomeadamente de contratos e adjudicações feitos por entidades da administração central, regional ou local a empresas ainda inexistentes ou criadas pouco dias antes. A maior parte dos casos de adjudicações a empresas ainda não formalmente constituídas refere-se a contratos feitos com revisores oficiais de contas (ROC). O caso extremo é o dos Serviços Municipalizados de Abrantes, que terão adjudicado uma prestação de serviços a uma sociedade ROC mais de um ano e meio (606 dias) antes de esta ter sido criada. Também a Direcção Geral dos Impostos terá adjudicado a compra de uma envelopadora por 14.450 euros a uma empresa que só foi constituída 15 dias depois.

Por estas e outras na altura de votar não esqueça: “O eleitorado tem finalmente a oportunidade de se pronunciar sobre a responsabilidade e o sentido de Estado das diferentes forças políticas."

ps: Poucos minutos depois da difusão da notícia de que o site "Despesa Pública" divulgava contratos do Estado a empresas que não existiam, o servidor onde o site está alojado dava apenas a informação de que a conta foi suspensa. Estranho, não é?

Sem comentários: