terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Aljustrel: "irresponsabilidade" e "exibicionismo político"

No dia 27 de Novembro, o Parlamento aprovou medidas de combate à crise de PSD, CDS-PP e PCP, como o fim do Pagamento Especial por Conta e a imposição de o Estado antecipar para 30 dias o prazo de reembolso do IVA e de pagar juros de mora pelo atraso no cumprimento de "qualquer obrigação pecuniária". … "A isto chama-se profunda irresponsabilidade política", porque "ameaça as contas públicas" e constitui "uma forma de desenvolver uma linha política que se baseia apenas no exibicionismo político", disse José Sócrates em Aljustrel, num plenário de militantes socialistas. Publico A estranha reacção do então ainda ministro da Economia a um aparte do deputado comunista Bernardino Soares é reveladora das indefinições que têm marcado a retoma da actividade mineira em Aljustrel. A história da entrega de um cheque no valor de cinco mil euros, oferta da EDP, ao clube de futebol da terra e que envolveu directamente Manuel Pinho deixou os mineiros ainda mais cépticos em relação ao papel do ex-governante no processo. Publico O novo executivo da Câmara de Aljustrel já tem pelouros atribuídos. Ficou definido que o novo presidente, o socialista Nelson Brito, será responsável pelo desenvolvimento económico e captação do investimento, associativismo, desporto, património e urbanismo e protecção civil, enquanto que Carlos Teles, também eleito pelo PS, assumirá os pelouros da cultura, ambiente, recursos humanos e administração financeira. As pastas da educação/ formação, acção social, saúde e juventude ficarão, por sua vez, a cargo de Conceição Parreira, também do PS.
Os eleitos da CDU, Manuel Camacho e Manuel Frederico, ficam sem qualquer pelouro. CA

1 comentário:

Gaivota Maria disse...

É o chamado "venha a nós o nosso reino". Até parece outra Cãmara que eu conheço...