segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

"centralismo democrático" de Lenine no PS

Os sete pecados mortais do PS, segundo Ana Benavente 1. Adoptou "políticas neoliberais e, portanto, abandonou a matriz ideológica socialista"; 2. "Autoritarismo interno e ausência de debate, empobrecendo o papel do PS no país"; 3. "Imposição de medidas governativas como inevitáveis e sem alternativa, o que traduz dependências nacionais e internacionais não assumidas nem clarificadas para o presente e o futuro"; 4. "Marketing político banal e constante, de par com uma superficialidade nas bandeiras de modernização da sociedade portuguesa"; 5. "Falta de ética democrática e republicana na vida pública e na governação";6. "Sacrifício de políticas sociais construídas pelo próprio PS em fases anteriores"; 7. "Falta de credibilidade, quer por incompetência quer por hipocrisia, dando o dito por não dito em demasiadas situações de pesadas consequências".
Benavente demorou seis anos a perceber. Um pouco mais que Carrilho.
Onde está o "camarada" que se segue?

Sem comentários: