quarta-feira, 8 de setembro de 2010

a arma dos pobres...

O Tridente, o primeiro de dois submarinos para a renovação da caquéctica Esquadrilha de Submarinos é hoje oficialmente recebido na Base Naval de Lisboa. O segundo, o Arpão, chegará durante o primeiro trimestre de 2011.
O governo do saudoso António Guterres, que lhes chamou a arma dos pobres, queria quatro, porque dois não fazem uma esquadrilha e o tempo era de vacas gordas e de scut's.
Um ministro, sobrinho-neto de marinheiro da primeira república, reduziu a dose para dois. Era tempo de vacas magras.
Um deputado, filho de marinheiro do estado novo, quer reduzir a esquadrilha a zero. É tempo de vacas esquálidas e sem pasto.
Estes não estarão presentes na cerimónia.
Nós, os contribuintes, estaremos em pagamento activo durante muitos anos e poucos terão a consciência que a fronteira ocidental é com a América e, por tal, dois é pouco e… é muito.
Ontem, com Guterres éramos pobres com armas.
Hoje somos andrajosos pedintes desarmados.

Sem comentários: