quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

uma “boa noticia”

A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2012 foi de 16,9%. Este valor é superior em 2,9 pontos percentuais ao do trimestre homólogo de 2011 e em 1,1 pontos percentuais ao do trimestre anterior.
A população desempregada foi de 923,2 mil pessoas, o que representa um aumento homólogo de 19,7% e trimestral de 6,0% (mais 152,2 mil e 52,3 mil pessoas, respetivamente).
...
A taxa de desemprego média anual de 2012 foi de 15,7%, o que representa um acréscimo de 2,9 pontos percentuais em relação ao ano anterior. A população desempregada foi de 860,1 mil pessoas, tendo aumentado 21,8% em relação ao ano anterior (mais 154,0 mil pessoas). A população empregada registou um decréscimo anual de 4,2% (menos 202,3 mil pessoas). ine 
 
Obviamente é uma má noticia. Será tratada pela “opinião publicada” como uma “boa noticia” e, consequentemente, publicada sem reservas e nunca seguida do inevitável “mas”...
 
A má noticia não tem só a ver com os actuais 16,9 ou os 17,5 de desemprego do final de 2013.
Má noticia é que dificilmente os actuais desempregados com mais de 50/55 anos voltarão a ter emprego e isso significará também a manutenção, ou até aumento de impostos, para aqueles que o tiverem e cujo destino deverá solidáriamente proporcionar àqueles, já hoje chamados de “longa duração”, o rendimento social que, não sendo o de integração, seja de inclusão.
 
Recordo-me do tempo em a “opinião publicada” se chamou “comunicação social”. O tempo em que, além de comunicar, informava, nem sempre com verdade, mas sempre com o objectivo de formar.
...mas, ao que parece, formar e informar não dá votos, nem vende papel, som ou imagem!
 

Sem comentários: