terça-feira, 18 de julho de 2017

alguém anda a fazer de nós parvos....

Quando a dimensão do assalto a Tancos foi tornada pública, o PCP foi dos primeiros partidos a reagir, mais ou menos à mesma hora em que o Costa fazia a mala para as férias em Palma de Maiorca, o PCP emitiu um comunicado oficial muito duro, a pedir «responsabilidades políticas».
Enquanto Costa se mantinha em silêncio,
O ministro da Defesa admitia que o material roubado viesse a «colidir com a nossa segurança», aceitando que poderia ir parar a redes terroristas e
O Presidente da República fez declarações tonitruantes: era preciso investigar tudo «doa a quem doer e não deixando ninguém imune».
mas
o Costa continuou impávido as suas férias!
Quando chegou explicou que tinha ido para Palma de Maiorca descansado porque os serviços de segurança o avisaram que não havia riscos – apesar do Ministério Público ter aberto uma investigação.
O chefe militar explicou que o material roubado, afinal, não servia para nada. Era só tralha.
Alguém anda a fazer de nós parvos.

Entre as explicações em São Bento e as teoria da tralha do Pina Monteiro e a da conspiração do Vasco Lourenço segundo a qual tudo se tratou de uma intentona para prejudicar o Governo PS, venha o diabo e escolha... (adapt de “O sentido de Estado é uma coisa que tem dias” de Ana Sá Lopes )

Sem comentários: