quinta-feira, 15 de setembro de 2016

A INAUGURAÇÃO DA ESTÁTUA A MARIA DA FONTE

No dia 15 de Setembro de 1920 foi inaugurado no Jardim da Parada, pelo Presidente da República Dr. Teófilo Braga, o monumento homenageando Maria da Fonte, da autoria do escultor Augusto da Costa Motta (tio).
Esta inauguração aproveitava a comemoração do centenário do regime liberal em Portugal, e relembrava um dos episódios mais significativos para o reacender da luta entre os conservadores miguelistas e os ideais liberais - a revolta da Maria da Fonte.
Ocorrida na primavera de 1846, na zona da Póvoa do Lanhoso (Minho), esta insurreição tem na sua origem o descontentamento face às novas leis aprovadas pelo governo de Costa Cabral. A revolta terá tido uma forte componente feminina, apontando-se como principal instigadora dos acontecimentos uma jovem mulher, natural de Fonte de Arcada. O espírito liberal de «Maria da Fonte» difundiu-se um pouco por todo o país tendo culminado na guerra civil da Patuleia, na qual triunfam os liberais, cartistas, em 1847.

No mesmo dia, no âmbito das mesmas comemorações, foi inaugurado o novo topónimo «Rua Silva Carvalho», substituindo-se a antiga designação de «Rua de São João dos Bem Casados». No edifício de gaveto entre a Rua Silva Carvalho (nº 136) e a Rua do Sol ao Rato (onde hoje existe a Farmácia Almeida) foi descerrada a placa toponímica.

Sem comentários: