terça-feira, 12 de janeiro de 2016

uma factura que pode chegar aos 3,6 mil milhões de euros.

Porquê?
Quem pagou a maior parte da intervenção no BES foi a banca – e as novas regras europeias ditariam o mesmo para o caso Banif, se este governo o tivesse vendido após 1 de Janeiro. António Costa vendeu o Banif à pressa no Natal para proteger a banca e oferecer a maior factura aos contribuintes: uma factura que pode chegar aos 3,6 mil milhões de euros.
.
“Este é um caso inédito na história financeira portuguesa. Deve-se fazer uma investigação judicial a todo o processo de venda do Banif e comparar as alternativas que existiam”,

“No final de Novembro foi aberto um concurso para a venda da posição do estado (60,5%) no Banif – através de uma operação desenhada pelo próprio BdP – por ser necessário encontrar um investidor que o capitalizasse. Tivemos vários interessados e conseguimos quatro propostas válidas, que seriam apresentadas na semana de 13 a 18 (de Dezembro).” Mas no dia 13 à noite tudo mudou: a TVI anunciou na televisão, no seu site e em várias redes sociais que estava “tudo preparado para o fecho do Banif”.


Sem comentários: