sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

"Je suis là en tant qu'une femme qui a perdu son homme"

“A República é a culpada (…). Os atacantes foram sistematicamente protegidos pela polícia. Houve várias mensagens de ódio e ninguém os defendeu. Essa é a realidade. O massacre podia ter sido evitado e não fizemos isso.” Afirmou à TF1,  mulher de Stephane Charbonnier, conhecido por Charb, que foi secretária de Estado da Juventude do Governo de François Fillon (UMP – partido de Sarkozy).

Sem comentários: