sexta-feira, 18 de abril de 2014

"Portugal arrisca ser comido vivo"

Estas declarações podiam ser feitas por um Syriza, um Comunista Português ou por um secretário-geral do Partido Socialista que temos, mas são de
Marine le Pen, presidente da Frente Nacional em França, que afirma em declarações à Antena1 que “Portugal está a ser sacrificado por esta política de austeridade”, à semelhança da Grécia, Itália e da própria França. É por isso “tempo de dizer ‘não’ a esta União Europeia” através, no caso português, de uma “classe política de gente muito corajosa”, porque caso contrário “Portugal arrisca ser comido vivo”.
Ver mais AQUI

Uma pequena nota apenas para estranhar que quando é a esquerda ou a extrema-esquerda a ter estas posições é louvada pelos órgãos de informação do nosso país, (e aceite tacitamente pela população pelo seu silêncio ou por incomodidade passiva) quando é a direita ou a extrema-direita a fazê-lo, logo é criticada pelos mesmos defensores da “liberdade de expressão” num coro ruidoso e castrador da tal “liberdade” de pensamento e de expressão.
Ou seja, a “liberdade” de expressão vale apenas para a esquerda e extrema-esquerda (in internacional). …





Sem comentários: