quinta-feira, 24 de abril de 2014

João Porto

Passámos juntos os duros tempos de 74 a 76 numa altura em que ser Democrata Cristão era um “insulto” aos politicamente correctos.
Teve um papel importante na nossa vida política quando o Conselho da Revolução dos “militares do 26 de Abril” tentou extinguir o Partido.
Era um político discreto que vivia para a causa pública e nunca viveu dela. Professor Universitário jubilou-se no passado ano.
Como Presidente do Congresso aceitou com veemente relutância, em 92, a minha demissão do Partido.
Faleceu ontem.

Descansa em paz!

Sem comentários: