sábado, 3 de março de 2018

União Nacional...outra vez!


Tardou nove décadas, e, colada pelo descaramento, a União Nacional lá se consagrou.
De repente (força de expressão), espécimes que tropeçam na língua e na decência têm Portugal inteirinho nas mãos. E não se prevê que o larguem. Pior: não se imagina quem queira obrigá-los a largar. Dado que o CDS é uma coisa de “direita” liderada por uma devota da regulação, a verdade é que uns 30% dos eleitores se encontram sem representação. Nem esperança. [...]
Contas por baixo, um milhão de votantes em 2015 não saberá no que votar em 2019,
se entretanto as eleições não tiverem sido abolidas para evitar transtornos divisionistas.

Sem comentários: