segunda-feira, 5 de março de 2018

somos um “case study” de antiguidades e velharias! Portugal já tem um e parece que vai ficar com dois...

...a Itália foi a votos e 
com este resultado do PD italiano ficará para a História mais um desastre eleitoral dos sociais-democratas - SPÖ Austria, SPD Alemanha, PS França e, não esqueçamos, o PS português, etc. - a que nós por cá chamamos de “socialistas”.
(aos menos atentos relembro que em Itália já não há Partidos Comunista, nem Socialista, nem Democrata-Cristão e o Partito Democratico, herdeiro destes, deve ter acabado nestas eleições...)
.
O mais votado foi o “5 Estrelas” que é movimento e não quer que lhe chamem partido, que não tem programa, que foi fundado pelo “palhaço”, que é dirigido(?) por um recente “nem-nem” que não se importa de fazer coligações mesmo contra a opinião do fundador "BeppeGrillo.
.
Na coligação Centrodestra o partido centrista Forza Itália de Berlusconi deixou de ser o mais votado. Foi ultrapassado pelo populista Lega (o antigo Lega Nord per l'Indipendenza della Padania) a que os "opinion makers" chamam de extrema-direita e próximo do francês Front National de Le Pen. Com este resultado Matteo Salvini do Lega deverá ficar de Primeiro-Ministro e a hipotese de Silvio Berlusconi vir a ser Presidente da Itália fica comprometida.
.

O desastre foi para o Centrosinistra (pró-União Europeia), onde já imperava a confusão da mistura: O Partito Democratico - do actual primeiro Paolo Gentiloni e do ex-primeiro Matteo Renzi – teoricamente social-democrata - juntava-se à extrema-esquerda do +Europa da Emma Bonino e à esquerda do Civica Popolare da Beatrice Lorenzin e dos Italia Europa Insieme e SVP – PATT.

Sem comentários: