sábado, 9 de junho de 2018

a França proíbe o uso de telemóvel nas escolas. E se fosse cá?

do Politicamente:
Não foi possível obter a opinião do “selfie made man”
.
dos Politicamente correctos:
“É uma medida repressiva. É cortar o mal pela raiz e fazer da escola a má da fita, quando este é um problema que envolve toda a gente.” (Filinto Lima, da direção da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas)

“Proibir é demasiado radical e não penso que seja pedagógico em crianças desta faixa etária”. A médica prefere que, primeiro, se encontrem “os motivos por que os miúdos estão muitas vezes com os telefones nas mãos”, para, depois, “contrapor com medidas”. (Ana Vasconcelos, pedopsiquiatra)

dos Politicamente incorrectos:
“Não é recomendável a utilização dos telefones no espaço escolar. Haveria um ambiente mais saudável sem o aparelho” (Miguel Peixoto, da direção de Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas D. Filipa de Lencastre)

“o smartphone é um tema muito mais abrangente do que só o seu uso na escola. Não nos esqueçamos que muitas crianças, em casa, estão até às duas ou três da manhã agarrados àquilo” (Miguel, que também é professor, mas tem medo de se identificar)

Sem comentários: