sábado, 13 de agosto de 2016

o PCP não comenta!

“Quem defende o controlo público das empresas estratégicas e, nomeadamente, da banca” — como de resto defendem os comunistas — não pode ficar nem passivo” perante o que “se está a passar na Caixa”.

Em causa estão as relações que os futuros administradores (executivos e não-executivos) da CGD mantêm ou mantiveram com os principais grupos económicos. A lista é longa: entre os 19 novos administradores do banco público contam-se ligações à Unicer,Peugeot-Citroen, Sonae, Renova, Sogrape, Fundação Champallimaud ou Porto Bay, por exemplo. (in Eugénio Rosa)

Sem comentários: