terça-feira, 27 de maio de 2014

a OPAN

Um dia, lá pró ano de 74, chegou a democracia e com ela, após quarenta anos de ausência, os partidos. Num ápice apareceram pra cima de uma centena. Coisas e loisas aconteceram e após as primeiras eleições os portugueses começaram a fixar-se…
A falta de formação política levou a maioria a “alinhar” naquilo que lhes pareceu mais semelhante: um clube de futebol. Como é sabido podemos mudar de religião, de mulher, de automóvel ou de casa, mas há coisa que nunca mudamos: de clube!
Passados quarenta anos, os velhos dos anos 70, não fazem a mínima ideia do que é que cada partido lhes quer dar e até de quem nele joga, mas “ordeiramente”, continua a votar “mais do mesmo”… ou a acreditar em fogos-fátuos!

É o que sinto hoje, dois dias após a “estrondosa” vitória”, quando me lembro de um clube que, no ano passado, foi de vitória em vitória e acabou sem ganhar nada…

Apesar de começarem a aparecer gerações que já não se “confundem”, temo que, à francesa, ouçam o canto de uma qualquer sereia!
Talvez seja tempo de regressar àquilo que, no tempo dos nossos pais ou avós, se chamou OPAN!

1 comentário:

ESCRIVA disse...

Saudades deste livrinho que bem decorado era sempre uma ajuda para a média, num tempo em que a média só contava para brilharmos e não necessária para a entrada na Faculdade. Guardo o meu algures, no sótão.