sábado, 15 de outubro de 2016

um Orçamento do newspeack orwelliano

um Orçamento do newspeack orwelliano,
em que o que é tem de ser apresentado como não sendo o que é…
.
.
Com artifícios de linguagem – em tudo idênticos com o tentado ao procurar que o perdão fiscal recentemente anunciado não fosse designado de perdão fiscal… – procura-se esconder o incumprimento de uma das promessas da geringonça, dizendo que foi só “meio incumprimento”.
Tudo isto bem envolvido na nova língua de pau da governação, de que é exemplo supremo a mensagem no Youtube do Costa que consegue a proeza de não explicar um só ponto do Orçamento e das suas opções, limitando-se a repetir frases feitas sobre os desígnios da actual maioria. Para dizer o que disse, bem podia ter ficado calado.
.
Vamos ao exemplo mais gritante, a falácia de que a sobretaxa do IRS vai ser devolvida gradualmente. Não vai, nem isso nunca podia acontecer. O que vai acontecer é que essa taxa vai diminuir e a única coisa que é gradual é a evolução dos descontos nos ordenados dos trabalhadores por conta de ontem.
realmente,
a sobretaxa mantém-se para todo o ano de 2017, os descontos na fonte nos salários dos trabalhadores por conta de outrem é que irão desaparecendo gradualmente. O resto é propaganda e mistificação.
.
outro exemplo:

Esta estratégia tem componentes políticas de nenhuma subtileza – o aumento de 10 euros nas pensões dos reformados ocorrerá apenas em Agosto, ou seja, a tempo de receberem duas prestações da sua nova pensão antes de irem votar nas autárquicas – mas de elevado custo – os 187 milhões que esse aumento custará em 2017 transportará para 2018 um encargo anualizado de 400 a 450 milhões de euros. (in Observador por José Manuel Fernandes)

Sem comentários: