quinta-feira, 30 de abril de 2009

frase do dia

"Há 30 anos que desfilam as mesmas caras, se ouvem as mesmas vozes, se lêem as mesmas frases com monótona aridez. O País é domado por um grupo sem prestígio mas com poder". Baptista-Bastos, "Diário de Notícias", 29-04-2009

gripe dos porcos...

Michael O'Leary, presidente da Ryanair considera que a “gripe suína é um monte de disparates" utilizado pelos responsáveis políticos para desviar as atenções sobre a crise. "Isto dá aos políticos uma desculpa para debaterem outra coisa em vez das economias mal geridas e da crise". "Muito mais pessoas na Europa vão morrer hoje em desastres de viação do que por causa da gripe suína e não vejo as autoridades francesas ou europeias tomarem medidas para proibirem as estradas às pessoas", acrescentou.
A epidemia terá feito 92 mortos no México desde o dia 24 de Abril e continua a propagar-se no mundo o que levou a Organização Mundial da Saúde a subir subir para 5 o nível de alerta, numa escala de 6, considerando a pandemia "iminente".
... talvez O'Leary tenha razão! è certo que os medicamentos adquiridos para a “gripe da aves” perdem validade dentro de menos de dois anos!

o programa bolsas de estudo

01.03.2009 - 14:53 promessa de bolsas de estudo entre os 15 e os 18 anos 22. 04.2009 - 16:05 cria plano de atribuição de bolsas de estudos aos alunos do ensino secundário 30.04.2009 - 17:05 aprovação das bolsas de estudo para alunos do ensino secundário biba a "crise" ! bibam as eleições!

Crónicas da propaganda governamental (a ler no 31 d'Armada)

A Saúde Oral em Cheques - 6 de Novembro de 2007 - o ministro da Saúde, Correia de Campos, anuncia um programa de saúde oral que inclui cheques-dentista para idosos, grávidas e um programa para crianças, no valor de 21 milhões de euros. (aqui) Cheque-dentista para crianças - 11 de Novembro de 2008 - a ministra da Saúde, Ana Jorge, anuncia que o cheque-dentista vai passar a ser distribuído às crianças e jovens de quatro, cinco, sete, dez e 13 anos em 2009, num investimento de mais de 25 milhões de euros. (aqui) Sócrates dá cheque-dentista a criancinhas - 28 de Abril de 2009 - PM entrega cheques a crianças de uma escola na Penha de França, em Lisboa. A medida integra-se no plano de promoção da saúde oral que no último ano abrangeu quase 37 mil idosos e grávidas. Os cheques-dentista devem abranger 200 mil crianças. (aqui) é diificil escapar ao olho clínico do Guarda_Freio do Elevador da Bica! esta crónica está “postada” naquele excelente blog a não perder!
apetece-me também meter uma ferroadazita no esteves: esteve no Algarve Litoral falou num Hotel em Lagos respondeu na internet inaugurou instalações no Porto entregou cheques-dentista em Lisboa e diplomou idoso de 85 anos em Salvaterra do BE e sentiu-se realizado”! não consegui perceber quando é que despacha ou espera sê-lo em breve?

quarta-feira, 29 de abril de 2009

novas oportunidades!

«Tenho a grande felicidade de poder realizar-me como político, sabendo que um programa que o Governo lançou, o Novas Oportunidades, serviu para formar pessoas e melhores e dar uma oportunidade ao João André, que não a teve quando devia ter tido, mas que ainda foi a tempo», declarou JSPinto de Sousa, enquadrado pela ministra e pela presidente da câmara do BE. João André, 82, ou 'mestre' João André respondeu lendo quadras da sua autoria, tendo como sentido genérico as ideias de que «nunca é tarde para aprender» e que «é sempre bom saber para nos podermos valorizar». Sol

Teixeira dos Santos e Constâncio chamados pela comisão de inquérito ao BPN

Depois de Carlos Tavares, Teixeira dos Santos e Vítor Constâncio, vão ser ouvidos pelos deputados da comissão parlamentar de inquérito ao BPN, antes Abdool Vakil será ouvido à porta fechada... 29.04.2009 - 22h03 PUBLICO.PT Isto começa a apertar! ...fico á espera para ver a entrevista a TS! o VC irá processar "algum" deputado?
também nos vão "fechar a porta"? Percebe-se que o centrista Melo vá para Bruxelas... tempos idos, outros, tiveram que ir para Macau!

Rui Pereira defende "auto-regulação" de jornalistas ao noticiar crimes

Ministro Rui Pereira defendeu a "auto-regulação" dos jornalistas ao noticiar crimes conjugando o direito a informar com outros direitos fundamentais que estejam em jogo.
Num seminário sobre "Comunicação Social em Contexto de Risco Público" realizado no Instituto de Ciências Policiais, em Lisboa, Rui Pereira defendeu uma "cooperação estratégica" entre comunicação social e forças de segurança como forma de conjugar interesses por vezes discordantes. "Os interesses de uns e de outros não são sempre os mesmos", disse Rui Pereira, que frisou, no entanto, que "o regime de liberdade de imprensa que hoje existe é superior a qualquer forma de exame prévio ou censura". Da parte da comunicação, deve haver "auto-regulação", defendeu, exemplificando com a atitude dos meios de comunicação relativamente à exibição de imagens de execução de reféns no Iraque. "Isso poria em causa os direitos das pessoas, feriria gravemente os sentimentos das famílias e cheguei a temer que as imagens fossem transmitidas, mas a comunicação social auto-limitou-se, não as transmitiu", referiu. Salientou, no entanto, que a transmissão de notícias sobre crimes pode "ajudar a reforçar o sentimento de segurança".
O critério para os jornalistas deve ser "a conciliação de vários outros direitos fundamentais com o direito a informar". "Se a comunicação social quer informar cada vez mais e mais rápido, as forças de segurança também têm interesse em que a comunidade seja informada com segurança e protecção", disse o ministro. 29.04.2009 - 21h03 Lusa ora bem, começam por "auto-regular crimes"!
depois dirão "quem não deve, não teme!" e, por ai a diante...até que camaradas, companheiros e amigos começem a fazer a mala: o WolksWagen Preto está quase a chegar!

Portugal pode ficar ingovernável após legislativas

"Daniel Bessa considerou, esta terça-feira, que o país pode ficar ingovernável à saída das próximas legislativas pela pulverização de votos.
O antigo ministro da Economia criticou ainda o BE e o PCP por fazerem propostas que «cavalgam sobre o capital de queixa»."
para os que não se lembram junto a imagem de um génio da economia...que, mais um, não previu a crise portuguesa, nem a global!

terça-feira, 28 de abril de 2009

ainda ás voltas com os genéricos...

de quem sabe aritmética Votos de boa saúde ... convém parar e fazer contas. 35+8,8 milhões igual a 43,8 milhões. A dividir por 1 milhão de pensionistas igual a 43,8. 43,8 euros em medicamentos genéricos por cada pensionista num ano? in 31 da Armada de quem não sabe aritmética Genéricos gratuitos para um milhão de pensionistas Os reformados com pensões inferiores ao ordenado mínimo vão ter genéricos comparticipados a 100%. A medida foi aprovada em Conselho de Ministros e vai obrigar a acrescentar ao Orçamento do Serviço Nacional de Saúde mais 35 milhões de euros, para juntar aos 8,8 milhões previstos. Mas a factura pode disparar se o consumo destes medicamentos crescer. in DN 4 Abril 2009

uma entrevista interessante!

Manuela Ferreira Leite, reafirmou a sua recusa sobre um Governo do Bloco Central, na sequência de uma notícia da SIC-Notícias sobre a entrevista a Mário Crespo e na qual a presidente social-democrata admitia acordos com o PS:“É uma interpretação abusiva porque como é sabido sempre recusei a hipótese de um governo de Bloco Central”, declarou à agência Lusa. Na entrevista, questionada sobre o cenário em que se sentiria mais confortável, aliança do PSD com o CDS-PP ou se num novo Bloco Centra, respondeu: “Eu sentir-me-ia confortável com qualquer solução em que acredite, numa conjugação de interesses, no sentido do país, que sejam coincidentes... Se perceber que o objectivo país não é aquele que está no centro das atenções então com dificuldade existe um Governo que possa contribuir para melhorar o país”, mas afirmou não negar a colaboração se for necessária uma mudança...
Sobre o processo Freeport, comparou-o ao TGV para deixar um recado ao primeiro-ministro: “Há uma lição que o primeiro-ministro não tirou: nas vésperas de eleições não se tomam decisões polémicas... Em vésperas de eleições tomam-se decisões rápidas, sem grandes estudos, sem grandes fundamentos e daí nascem suspeitas, e o primeiro-ministro, que se sente vítima dessa acusação, está a querer cair rigorosamente no mesmo erro quando, a meia dúzia de meses das eleições, quer tomar decisões poderosíssimas em relação ao país, nomeadamente o TGV e o aeroporto”.
Como explicação para a defesa que o Governo faz das grandes obras públicas, Ferreira Leite considera que “há interesses de grupos muito fortes” e apontou o que faria se hoje fosse primeira-ministra: “Punha-lhes uma moratória”.
Em relação aos apoios sociais que têm vindo a ser anunciados pelo Governo diz recear que provenham da Segurança Social e quanto á escolaridade obrigatória até aos 18 anos não lhe oferece dúvidas: “a medida não tem hipóteses de ser executada”. Ferreira Leite garantiu que não consultará o partido se perder as eleições europeias: “Se as perder, perdi-as, não é? Vou fazer por ganhar. Se as perder, perdi”. Publico 27.04.2009 - 21h21 o ministro que tutela os média considerou que o facto de Ferreira Leite ter esclarecido que recusa um Bloco Central depois de ter dito que está disponível para qualquer entendimento pós-eleitoral mostra a falta de rumo da actual liderança do PSD...
Fico a pensar o que é que ele diria se MFL dissesse que aceitava o Bloco Central...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

MFL recusa Governo de Bloco Central

Ferreira Leite reafirma recusa sobre Governo de Bloco Central 27.04.2009 - 21h21 Sofia Rodrigues A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, veio hoje reafirmar a sua recusa sobre um Governo do Bloco Central, na sequência de uma notícia da SIC-Notícias sobre a entrevista a Mário Crespo e na qual a presidente social-democrata admitia acordos com o PS.“É uma interpretação abusiva porque como é sabido sempre recusei a hipótese de um governo de Bloco Central”, declarou à agência Lusa a presidente do PSD. Na entrevista à SIC, gravada hoje à tarde, Manuela Ferreira Leite foi questionada sobre o cenário em que se sentiria mais confortável, se numa aliança do PSD com o CDS-PP ou se num novo Bloco Central com o PS. “Eu sentir-me-ia confortável com qualquer solução em que acredite numa conjugação de interesses no sentido do país que sejam coincidentes”, disse. “Se perceber que o objectivo país não é aquele que está no centro das atenções então com dificuldade existe um Governo que possa contribuir para melhorar o país”, acrescentou. Já em momentos antes, questionada sobre o contributo que poderia dar em termos de solução para o Governo, Ferreira Leite disse não negar a colaboração se for necessária uma mudança. “Se não for ou se eu vir que há casamentos que estão muito bonitos no anúncio mas na realidade não funcionam então com certeza que não”, afirmou. Ainda antes da transmissão da entrevista, a SIC Notícias avançava que a líder do PSD estava disponível para acordos com o PS, o que veio a ser contrariado por Ferreira Leite. Questionada sobre o processo Freeport, a líder do PSD comparou o caso ao TGV para deixar um recado ao primeiro-ministro. “Há uma lição que o primeiro-ministro não tirou: nas vésperas de eleições não se tomam decisões polémicas”, disse, referindo-se ao TGV e às grandes obras públicas que dominaram boa parte da entrevista. “Em vésperas de eleições tomam-se decisões rápidas, sem grandes estudos, sem grandes fundamentos e daí nascem suspeitas. E o primeiro-ministro, que se sente vítima dessa acusação, está a querer cair rigorosamente no mesmo erro quando, a meia dúzia de meses das eleições, quer tomar decisões poderosíssimas em relação ao país, nomeadamente o TGV e o aeroporto”, sublinhou. Como explicação para a defesa que o Governo faz das grandes obras públicas, Ferreira Leite considera que “há interesses de grupos muito fortes” nessa área. Em contrapartida ao calendário definido pelo Governo para os grandes investimentos públicos, Ferreira Leite defendeu a recuperação da linha ferroviária nacional e questionou os efeitos do novo aeroporto na TAP. E apontou o que faria se hoje fosse primeira-ministra: “Punha-lhes uma moratória”. Em relação aos apoios sociais que têm vindo a ser anunciados pelo Governo, Ferreira Leite quer explicações sobre a origem do dinheiro e diz recear que provenha da Segurança Social. Já a escolaridade obrigatória até aos 18 anos não lhe oferece dúvidas: “a medida não tem hipóteses de ser executada”. Nas questões internas do PSD, Ferreira Leite garantiu que não consultará o partido se perder as eleições europeias, tal como acontecerá com outros líderes partidários se saírem derrotados a 7 de Junho. “Se as perder, perdi-as, não é? Vou fazer por ganhar. Se as perder, perdi”, respondeu. PUBLICO.PT

domingo, 26 de abril de 2009

ele rosna!

Sócrates saíra da sala da “entrevista”, sorridente, com ar de quem passou com distinção na prova oral, e perguntou “Não foi mal, pois não?”, dobrando as folhas brancas com notas usadas nas respostas. E estava ali, a “dar sopa”, para os poucos jornalistas presentes. Uma jornalista pergunta se se pode aproximar e fazer uma pergunta. “Claro, eu não mordo”, responde Sócrates sorridente.“Não morde mas rosna. E às vezes rosna muito”, replica-lhe ela em voz alta. O primeiro-ministro fica atrapalhado, responde que não é bem assim, ainda a rir, sem saber muito bem o que fazer, mas ela insiste com o “rosnar”. Talvez pelo efeito surpresa, Sócrates nem se zangou, mas o caso cerrou alguns sobrolhos. Publico 5.04.2009 - 21h22 Maria Lopes
...são estas que ainda me fazem acreditar!

Lisboa não quer votar...

Inquiridos entre os dias 21 e 23 de Abril a maioria dos alfacinhas entrevistados pela Aximage manifestou a intenção de se abster: 56, 3 por cento. apenas 36,1 por cento votaria Santos da Costa e
Pedro S. Lopes arrecadaria 29,6 por cento. O Parido Comunista (Ruben de Carvalho) ficaria com 8,4 e
o ex-Bloco do Zé, agora com Luís Fazenda, com 3,6 por cento, falharia a eleição de um vereador... Helena Roseta obteria 7,1 % dos inquiridos! CM26Abr09 na anterior sondagem realizada entre os dias 13 e 15 de Janeiro dos Lisboetas entrevistados 54% preferiam a abstenção enquanto Santos da Costa é preferido apenas por 38,2 por cento Pedro S. Lopes (PSD) - 19,8% e Teresa Caeiro (CDS) - 3,4% isto , somados seriam, 23,2 por centoRuben Carvalho (CDU) obteria 8,3% e se Helena Roseta, concorresse como Independente pelo BE, obteria 16,5 por cento dos votos. CM23Jan09
Cada vez mais a sondagens valem o que valem...

frase do dia

Condestável teve valores e princípios cristãos na guerra

Papa destaca vida do canonizado Nuno Álvares Pereira

a queda das economias ibéricas...

click para aumentar a imagem
Os dados permitem ver que o arranque da economia da Espanha, a partir de 99, sem problemas estruturais, resolvidos pelos governos Aznar. A chegada da crise mundial vai provocar uma paragem e um razoável decrecimo...
Ao invés Portugal apresenta dois enormes tombos: de 73 a 83 e o de 95 até á actualidade!
Após o 25 A apenas conseguimos crescer de 85 a 95... a nossa crise é forçosamente estrutural e agora juntaram-lhe a crise mundial!
Queridos Filhos e Netos:
Voçês estão f...

politiquês para algarvio ouvir...

Em uma cerimónia onde os jornalistas acompanhantes, mais uma vez, se dedicaram a fazer figura de “corpo presente” na louca e diária caminhada repetitiva de “uma medida por dia” que já esqueceram: O primeiro-ministro, na cerimónia da concessão Algarve Litoral, que prevê a requalificação na Estrada Nacional 125, defendeu que a política de investimento público do Governo é "absolutamente fundamental" para ajudar o país a sair da crise e que é mesmo um "imperativo moral" face à necessidade de criar emprego e considerou que esta é “uma intervenção estratégica, pois representa um investimento na segurança da via”. Ao menos digam-me o que é, ou quem é, a Algarve Litoral! Neste “dejà vu” que começou com 150 mil empregos o uso de palavras publicitariamente “fortes” é uma característica de alguns políticos a que dificilmente me renderei: "imperativo moral" poderia ser trocado por "imperativo estratégico" “uma intervenção estratégica” daria “uma intervenção fundamental" "absolutamente fundamental" é incompreensível dado que fundamental engloba o absolutamente... Lembro-me da velha anedota do antigamente: “ele falou muito bem...eu é que não percebi nada!”

sábado, 25 de abril de 2009

sexta-feira, 24 de abril de 2009

o inglês do auto-intitulado Presidente do Conselho...

reparem nos outros, lá atrás, a rirem-se do cromo.... enquanto demonstra a utilidade do Inglês Técnico no Ensino Superior

uma boa noticia!

Telma Monteiro conquistou a medalha de ouro nos Campeonatos Europeus de Judo.

genéricos para os pensionistas...

"Genéricos grátis a pensionistas foi por uma “razão de justiça” , diz JS Pinto de Sousa Mal não faz, mas isto não é forma de governar, diz Teresa Caeiro
A 18 de Março, o primeiro-ministro tinha anunciado um aumento das comparticipações dos medicamentos aos pensionistas com pensões inferiores ao salário mínimo. A 23 de Abril, o Governo aprovou a comparticipação a 100 por cento dos medicamentos genéricos a pensionistas com rendimentos inferiores ao salário mínimo nacional … ora bem,
a propaganda de Março fica reduzida a quase metade dos pensionistas. Repare-se: um casal de pensionistas tem um rendimento superior ao salário mínimo. Muito diferente seria se fossem considerados individualmente pela pensão que auferem: ambos teriam os genéricos totalmente gratuitos! Retire-se, ainda á propaganda, as diferentes posições dos médicos (pelas marcas), dos farmacêuticos (pelos genéricos) e da ministra-médica a dar razão àqueles, isto é, a maioria das receitas não prescreve genéricos! Mas o que é que interessa estar a pregar aos meus peixes se as agencias governamentais de propaganda e os assessores-jornalentos transmitem ao povão inculto e embrutecido aquilo que ele, mesmo com os magalhães, nunca virá a ler a este espaço ainda livre dos blogues e da internet…

...e talvez entremos neste novo século!

“Se é economista e nem se deu conta que isto iria suceder, deveria seriamente considerar o valor da educação que recebeu e dedicar-se a coisas com valor tangível para a sociedade, como apanhar couves.”-. comentário citado pela Business Week (patrick.net) Também no hebdomanário Marianne se escreve: “ Durante três décadas, a “ciência económica”, do alto das suas verdades em primícia, inspirou as políticas. Hoje pagamos o preço de modo cruel. Graças a quem?” ou ainda “Hoje, para sairmos da armadilha em que nos meteram é impossível encontrar dois economistas que estejam de acordo. Mas falam, falam...” . A Business Week refere: “ A maioria dos economistas não conseguiu prever a pior crise económica desde os anos 30. Agora nem sequer conseguem um entendimento para a resolver.” e pergunta: “Para que servem os economistas?” Para que servem os economistas? Para governar e ensinar com a autoridade daqueles que nunca sem enganam e raramente têm dúvidas? in http://portadaloja.blogspot.com/ Com o devido intervalo de tempo, que fruto do nosso tradicional atraso irá de meses a anos, alguns de nós começam a perceber as causas das nossas crises nacional e global. É o caso do Portal da Loja, um excelente blog. É triste ver que aqueles economistas, uns também mais ou menos comentadores dos média, que não perceberam os sinais que durante três trimestres nos foram sendo presentes, venham agora debitar soluções para resolver as crises. Pior, ainda não conseguiram entender que uma revolução chegou! Não terá seguramente o formato daquelas que a história anteriormente nos apresentou, mas está ai... e nada ficará como dantes! ...e talvez entremos neste novo século!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

uns mais iguais que outros...

Procurador arquivou ameaça de magistrado a PSP A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa arquivou um processo relativo a ameaças e insultos proferidos por um magistrado da República a um agente da PSP que o tentou multar porque estava a falar ao telemóvel. "Eu não pago nada, apreenda-me tudo. C..., estou a divorciar-me, já tenho problemas que cheguem. Não gosto nada de identificar-me com este cartão, mas sou procurador. Não pago e não assino. Ai você quer vingança? Então o agente F. ainda vai ouvir falar de mim. Quero a sua identificação e o seu local de trabalho", disse o magistrado ao agente, cujas palavras constam no despacho de arquivamento, citado pelo “Correio da Manhã”. Para o procurador da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa que investigou o caso, “na gíria popular, considerado o contexto e as circunstâncias (pendendo divórcio e tendo já problemas, fica aceite uma fase de perturbação do autuado), tal expressão equivale a dizer-se, desabafando ‘c..., estou lixado’.” “Admite-se que houve falta de correcção na linguagem proferida, mas não de molde a beliscar a honorabilidade pessoal e funcional do sr. agente autuante. (...) Com efeito, nem o vocábulo ‘c...’ encerra qualquer epíteto dirigido à autoridade nem o alerta de que ‘ainda vai ouvir falar de mim’ contém a anunciação de um ‘mal futuro’", conclui o magistrado encarregue do caso, no despacho de arquivamento citado pelo mesmo jornal. "Estamos em crer, sem margem para dúvidas, que a matéria comunicada não constitui qualquer ilícito penal ou disciplinar", lê-se na decisão. DN

Desemprego dispara 23,8% em Março - TSF

o desemprego em Março sobre para 23,8% os dados do Emprego e Formação Profissional , revelam que o número de desempregados inscritos no final do mês passado era 484.131, isto é, mais 93.105 inscrições do que em Março de 2008. destaque-se a subida do desemprego entre os homens, 38,9 por cento, e entre os jovens,27,2 por cento. TSF

alunos esfaqueados

Aluno esfaqueado durante confronto entre grupos rivais TSF 23ABR 09 Um jovem de 15 anos foi esfaqueado por um colega de 17 numa escola do Cacém. A informação foi confirmada à TSF pela PSP, que diz que esta agressão ocorreu durante um confronto entre grupos rivais da Escola Secundária Matias Aires. Jovem da Casa Pia morre após ser esfaqueado - TSF 12Dez08 Um jovem da Casa Pia foi esfaqueado tendo acabado por falecer depois de ser transportado com vida para o Hospital S. Francisco Xavier. Fonte do INEM disse à agência Lusa que o jovem de 19 anos tinha sido vítima de uma agressão com arma branca.

Vale a pena defender o jornalismo de investigação?

Vale a pena defender o jornalismo de investigação ler em Mais Actual

Textos notáveis

Textos notáveis a diferença que vai dos pequenos aos grandes homens de Estado.

para leitura obrigatória!

O preto afinal é branco e entre o Eu e o Outro, os pilares da ponte do tédio que vai daqui para o além ... Sua Excelência deixou de ser um bom exemplo e, da sua conduta, já ninguém consegue extrair um exemplo que possa transformar-se em máxima universal. Ao elevar a adversários principais alguns brincalhões das golpadas politiqueiras, ele restringiu o campo da luta política a um nível que não mobiliza quem precisava de fins políticos mais altos. E fiquei triste. Explicar o Freeport porque houve uma carta anónima de um militante alcochetense do CDS que, aliás, já saiu do CDS, e insinuar que tudo se deve a manobras do actual CDS, aliado a outros dirigentes do PSD, que já não são dirigentes do PSD, é confundir dolosamente as circunstâncias. É perder o nível. ... um post imperdível de JAM em “sobre o tempo que passa”

...uma "entrevista", no minimo, estranha!

resumindo: J.S. Pinto de Sousa: Jornal Nacional é um "telejornal travestido" feito de "ódio e perseguição pessoal" (JNegócios, 22/4): «Na entrevista que concedeu ontem à RTP, o primeiro-ministro adiantou que tem o direito de processar quem me injuria e acusou o Jornal Nacional da TVI de sexta-feira de ser um espaço de caça ao homem e um telejornal travestido feito de ódio e perseguição pessoal.» Manuela Moura Guedes processa Sócrates (TVI24, 22/4): "A jornalista Manuela Moura Guedes vai processar judicialmente o primeiro-ministro por difamação na sequência de acusações de José Sócrates ao «Jornal Nacional» da TVI, feitas na entrevista à RTP, disse esta quarta-feira a própria à Agência Lusa." Moniz avança com queixa contra Sócrates (TVI24, 22/4): "«O director-geral da TVI confirmou, esta quarta-feira, durante o Jornal Nacional, que já avançou para os tribunais com uma queixa contra José Sócrates. «Já avancei para os tribunais com uma queixa contra José Sócrates, não impedindo outros jornalistas de o fazerem também», revelou." vídeo. Sócrates já processou nove jornalistas (Expresso, 18/4): «O primeiro-ministro não aceita bem as notícias e comentários dos media sobre o caso Freeport e já processou nove jornalistas: cinco da TVI, três do “Público” e um do “Diário de Notícias”. Os processados não parecem muito preocupados. Manuela Moura Guedes afirma não se sentir pressionada. José Manuel Fernandes, director do “Público”, diz que o processo «é uma forma de coacção sobre o jornal», mas que não lhe tira o sono. João Miguel Tavares entende que Sócrates tem todo o direito de o processar, tal como ele tem o direito de criticar o primeiro-ministro. Entre os juristas há opiniões desencontradas sobre o fundamento para processos desta natureza. Não é novidade e em alguns casos as opiniões mudam em função das famílias políticas». «A especulação jornalística é parte da liberdade de expressão»

...também estes?

Previsões do FMI: - Desemprego em Portugal dispara para 11% em 2010, este ano ficará em 9,6%. - Economia contrai 4,1% este ano e 0,5% no próximo
- Contas públicas: 6% de défice em 2009 e 6,1% em 2010.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

a luta continua... no 25 de Abril

Professores do Ensino Superior saem à rua no 25 de Abril ? O Sindicato Nacional do Ensino Superior convocou docentes e investigadores a participarem na manifestação que se realizará em Lisboa no 25 de Abril A manifestação anunciada pelo SNESup pretende contestar o sentido geral das propostas de revisão de carreira dos docentes formuladas pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior.
O protesto visa ainda denunciar as medidas que, segundo o sindicato, se traduzem em “maior instabilidade contratual, em subversão de direitos de acesso, progressão e reingresso na carreira. Outro ponto de discórdia em relação às propostas apresentadas por Mariano Gago tem a ver a com a “redução das remunerações pagas pelo mesmo trabalho e até na admissão de trabalho não remunerado”.
Ó Mariano também estes...

Olmert acusado de crimes de guerra na Noruega - Globo - DN

Olmert acusado de crimes de guerra Advogados pedem a detenção e extradição do ex-primeiro-ministro, mas também da antiga líder da diplomacia, Tzipi Livni, e do ministro da Defesa, Ehud Barak Uma equipa de advogados noruegueses anunciaram que vão apresentar queixa contra o ex-primeiro-ministro Ehud Olmert por “crimes de guerra” e “violações graves dos direitos humanos” durante a guerra de Gaza. Além de Olmert, a queixa apresentada hoje junto do procurador-geral norueguês, pede a detenção e extradição da ex-ministra dos Negócios Estrangeiros, Tzipi Livni, do ministro da Defesa Ehud Barak e de sete oficiais do exército. Segundo o comunicado, os ataques israelitas no período entre 27 de Dezembro e 25 de Janeiro representam “um vasto ataque terrorista que tinha como alvo os residentes de Gaza”. Além disso, apontam o dedo às “mortes de civis” e “outros actos inumanos que causaram enorme sofrimento” e “a vasta destruição de propriedades privadas e públicas”.
sem comentários...

"entrevista" na ARTP1

o melhor que li nos outros:
Socrates Abalado mais actual Jornalismo Travestido delito de opiniao Freeport, o Gólgota de Socrates clube das republicas mortas Os Dardanelos, Winton, os Dardanelos mar salgado

terça-feira, 21 de abril de 2009

quem se mete com ele...leva! e a Judite levou!

... entrou na agressividade ao lançar a Judite de Sousa que "é abusivo da sua parte fazer essa observação." , ao referir-se ao papel interinstitucional com o Presidente da República. E a Judite calou. Logo que interrompeu um pouco, novamente "deixe-me acabar! Deixe-me acabar". Judite interrompe a tirada propagandística apenas para assistirmos a uma retoma da mesma, com outro tema. Todo e qualquer tema serve. "Deixe-me acabar". Judite sai do tema e reentra no assunto principal: o discurso do PR. O PM atira-lhe logo que já respondeu e a entrevistadora responde, humildemente baixinho “que só agora fizera a pergunta”... "Senhor PM deixe-me falar do presente..." balbucia a entrevistadora, interrompendo. Mas quem a interrompe no monólogo é o PM. Judite cala-se. E o PM revela: "Eu encaro a situação com muita humildade..."

os casos na entrevista...

Freeport portanto... introduzido pelo José Alberto Carvalho: "Eu tenho mantido uma reserva e tenho evitado falar no assunto, por dois motivos. Em primeiro lugar por respeito pela investigação. Depois porque não quero envenenar mais o clima." "Mas eu não posso assistir a esta tentativa de assassinato político, sem dizer qualquer coisa. " "Estou em condições de garantir e defender - apesar de não ter participado directamente - que o licenciamento do processo ambiental do Freeport, respeitou toda a legalidade." "A ZPE não tem nada a ver com o caso".
"O projecto Freeport só foi licenciado depois de respeitados todos os condicionamentos". Pergunta de Judite de Sousa: "O senhor põe as mãos no fogo por todas aquelas pessoas que estando na sua dependência naquela altura tomaram parte nas decisões?" "Eu ponho as mãos no fogo pelos meus Secretários de Estado." "Eu apresentei queixas em concreto relativamente a pessoas que utilizaram o meu nome..." E Charles Smith... pergunta Judite de Sousa, com a interrupção do PM, sobre o vídeo ...
"eu sabia que íamos cair aí"
"Eu já percebi que a Judite de Sousa estava com muita vontade de repetir aqui o que diz o vídeo..." in porta da loja posted by josé @

nunca esquecer...

às 10 da manhã, em Israel (14 horas em Lisboa), as sirenes tocaram durante dois minutos para recordar os caídos, no Dia da Memória e do Holocausto.

Red Roses For A Blue Lady...far away

Cavaco Silva e Pinto Monteiro reunidos na Residência Oficial do PR A audiência, que teve início às 17:30 no Palácio de Belém, apenas foi divulgada no 'site' da Presidência da República perto da hora do encontro. Contactada pela TSF, fonte de Belém limitou-se a confirmar o encontro, escusando-se, porém, a revelar se foi solicitado pelo Presidente da República ou pelo Procurador-Geral da República e quais os motivos da reunião. ...obviamente que a forma como o encontro foi divulgado leva-nos a desconfiar das razões para tanto secretismo! alguém se está a esquecer que agua e azeite tem diferntes densidades...

Freeportgate?

Escrituras feitas por J.S.Pinto de Sousa e facultadas a um jornalista de investigação são consideradas factos “muito graves” pelo secretário do estado da justiça...
Tudo leva a crer que estamos cada vez mais perto de um freeportgate... e cada vez mais aparecem mais “gargantas fundas”! ...não nos bastavam as crises global e nacional ainda temos que aguentar todas estas trapalhadas.

e tudo o mais é publicidade...

Entre segredos de justiça e segredos cúmplices, o Estado tem-se vindo a desrespeitar.
O DVD do Freeport foi escondido durante anos, ocultando a verdade ou parte dela. Cinco processos judiciais contra jornalistas depois, é conhecido.
Nada pode ficar como dantes.
Como Bob Woodward disse, "notícia só é aquilo que alguém quer esconder. Tudo o mais é publicidade". Mário Crespo – Opinião-JN Há demasiada publicidade em Portugal!!!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

"Recados" de Cavaco Silva

Os "Recados" de Cavaco tiveram resposta do primeiro-ministro. Tão hermeticos os "recados" quanto as "respostas" o que forçou as "pitonisas de serviço" a procederem ás respectivas interpretações... Vejamos: António Costa Pinto, disse ser "natural" que as palavras de Sócrates sejam "interpretadas como sendo dirigidas ao PR". "Podem não ter sido, mas estão a ser interpretadas como tal e é natural" e acrescentou, que este "clima de tensão" em momento pré-eleitoral "favorece o Presidente". Isto é: "Sócrates não deveria alimentá-lo porque é quem fica a perder", Carlos Abreu Amorim, considera que é "um jogo político" destinado a obter votos à esquerda e diminuir a influência eleitoral do BE e do PCP. "Sócrates quer mostrar que é político forte, que consegue impor a sua vontade", José Adelino Maltez entende que Sócrates foi "dolosamente equívoco" no recado ao PR, que o irritou "profundamente",
Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que a relação entre Governo e "Cavaco Silva já não é o que era" e considera que o PS tem que optar e definir se quer afrontar o Chefe de Estado. Contudo, avisa que "é uma imprudência" fazê-lo face às sondagens, e Paulo Mota Pinto, considerou as declarações do primeiro-ministro como claro excesso de linguagem e um abuso autêntico na crítica.
perceberam?
eu ainda não!

domingo, 19 de abril de 2009

Seria um erro muito grave, verdadeiramente intolerável, que, na ânsia de obter estatísticas económicas mais favoráveis e ocultar a realidade, se optasse por estratégias de combate à crise que ajudassem a perpetuar os desequilíbrios sociais já existentes ou que hipotecassem as possibilidades de desenvolvimento futuro e os direitos das gerações mais jovens. Aníbal Cavaco Silva
... esta linguagem hermética a quem é que serve?

...desperados?

Recebi de pessoa amiga o email que transcrevo e ao qual de seguida respondo! De: Julia Coutinho Data: 17 de abril de 2009 23:48:38 GMT+01:00 Para: Julia Coutinho Assunto: Petição - por favor divulguem Caros amigos, Depois do lançamento público do "Apelo à Convergência de Equerda para as Eleições à Câmara de Lisboa" o mesmo encontra-se online e temos absoluta necessidade de o fazer chegar a todos os cidadãos. Assim, tomo a liberdade de solicitar que o divulguem junto dos vossos amigos. http://www.petitiononline.com/porlx/petition.html Mesmo os não residentes em Lisboa podem solidarizar-se com a nossa causa. Saudações amigas Julia Coutinho 91 454 89 86 http://www.ascausasdajulia.blogspot.com/
Minha Querida C: Depois da "convergência da esquerda" corrente ter mostrado, na actual gestão, a suas (in)capacidades: na gestão urbanística (ex: a enorme torre do Colombo -antes chumbada por J.Sampaio e J.Soares); na gestão rodoviária (ex: a rua onde moraste é hoje um buraco continuado e exemplo do que se passa na maioria das vias da cidade); na segurança (ex: a policia municipal apenas serve para multar automóveis á socapa, em horário nocturno, enquanto os lisboetas dormem; no abuso que foi fechar a Av. da Liberdade para passar a publicidade de uma marca de automóveis: no encher os nossos monumentos e principais praça, no natal e ano novo, com desagradável publicidade das tmn's e ou outras; dos contentores do "coelhone" que em Alcântara nos fecham a vista á cidade; das alterações ao Programa Gertrudes que trouxe o caos ao transito, entre muitas outra asneiras só possíveis por quem não foi nado em Lisboa, mas conseguindo muito pior que as “santanices” da ante-anterior gestão (já agora confesso que o, também por mim, tão criticado túnel do Marquês é afinal de imensa utilidade!). Lamento, minha amiga, irei firmemente apoiar a lisboeta Helena e fazer tudo quanto puder para afastar da minha cidade arrivistas emigrantes, youpies e todos quantos são, como a “colgate” produtos de uma qualquer agencia de publicidade! Bj Z ps: convidar para assinar a petição “os não residentes em Lisboa”, como aparece no mail reenviado, parece-me desagradável e, principalmente, pouco ético!
Claro que, democráticamente, deixo os endereços da "desperads" petição... subscrevam-na se quiserem mas apenas se forem naturais...

da Boa Batista

Na Sexta-Feira e na TVI, José Manuel Fernandes, Director do Público, apontou um nome do actual executivo, indicando que "nas suas mãos estava a capacidade de travar, senão inviabilizar, por razões ambientais, a construção do Freeport, em curso em 2002 e 2003", como sendo um dos envolvidos no escândalo Freeport, mencionados no vídeo da polémica, por Charles Smith. para ler na porta da loja ...mais um nome ligado a "macau"?

sábado, 18 de abril de 2009

as consequencias da gaffe do Sá Gomes

Uma aparente gaffe do secretário de Estado da Administração Interna, Rui Sá Gomes, fornecendo aos sindicatos da Polícia um despacho das Finanças onde se falava do pagamento de horas extraordinárias aos agentes, esteve na origem de uma reivindicação corporativa nesse sentido. Mas o Estado não tem dinheiro para pagar O Ministério da Administração Interna (MAI) vive dias de turbulência. Além da desarticulação entre o ministro e o secretário-geral de Segurança Interna, Mário Mendes, se ter tornado uma evidência pública, o secretário de Estado da Administração Interna ateou esta semana um fogo – com o possível pagamento de horas extraordinárias à PSP – que Rui Pereira ainda está a tentar apagar. Rui Sá Gomes, o secretário de Estado da Administração Interna, enviou esta semana às associações sindicais da PSP um despacho do Ministério das Finanças que abria a porta ao pagamento de horas extraordinárias aos agentes da PSP – o que nunca foi intenção do ministro Rui Pereira. Por isso, a surpresa inicial com que receberam o documento de Rui Sá Gomes – «ficamos incrédulos», disse ao Diário de Noticias o presidente da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia – foi rapidamente esfriada. Dois dias depois de terem recebido o documento, as estruturas sindicais das polícias ficaram a saber que Rui Pereira preferia «não se comprometer» com este pagamento das horas extraordinárias, como afirmou o ministro no Parlamento, desautorizando aquilo que parecera ser a intenção do seu secretário de Estado. Por Helena Pereira em o Sol
óH! Gomes, Sá...lixaste o mano Pereira, Rui! E, lá na loja, um vai ter que ficar á porta...!

JS Pinto de Sousa recusa depor ...

José Sócrates recusou depor no processo Portucale.
A resposta foi dada pelo 1.º ministro ao Conselho de Estado – visto que, segundo a legislação, o Conselho, a que Sócrates pertence, é obrigatoriamente consultado quando algum dos seus membros é instado a depor em processos judiciais Os membros do Conselho de Estado estão a ser instados a pronunciarem-se sobre se obrigam José Sócrates a prestar, por escrito, os esclarecimentos que lhe foram pedidos no âmbito da instrução do processo Portucale. O depoimento foi requerido por um dos arguidos no caso, mas o primeiro-ministro já informou os restantes membros do Conselho que considera não dever responder às questões, por desconhecer os factos em causa no processo. A decisão está agora nas mãos dos outros membros do Conselho de Estado. Habitualmente, o Conselho respeita a vontade de quem está a ser interpelado pelos tribunais, mas já houve casos em que o interesse público em causa pesou mais que a opinião do conselheiro. Sendo certo também, segundo o SOL apurou, que são muito raros os casos em que os conselheiros recusam aceder aos pedidos dos tribunais. Ana Paula Azevedo e Sofia Rainho in o Sol
...finalmente percebi porque pararam de chatear o PPortas?

politicamente incorrecto...

Nicolas Sarkozy está a provocar uma pequena tempestade política na Europa devido às considerações pouco lisonjeiras que fez sobre Barack Obama, Rodríguez Zapatero e Angela Merkel num almoço com 20 deputados franceses a quem pretendia relatar em pormenor o que sucedeu na recente cimeira do G20, em Londres. O repasto foi à porta fechada, mas o Libération conta a história toda. O que disse o Presidente francês? Sobre o inquilino da Casa Branca: "Obama é um espírito subtil, muito inteligente e muito carismático. Mas foi eleito sem ter nunca gerido um ministério." Sobre o presidente do Governo espanhol: "Talvez não seja muito inteligente." Sobre a chanceler alemã: "Quando ela se apercebeu do estado em que estava a banca e a indústria automóvel do seu país não teve outra opção senão concordar comigo." Estas declarações estão a causar reacções em várias capitais europeias e até nos Estados Unidos, com ecos nos mais diversos órgãos de informação. Aqui e aqui, por exemplo. Menos polémica tem causado o que o inquilino do Eliseu disse, na mesma ocasião, sobre Durão Barroso. O presidente da Comissão Europeia, assegurou Sarkozy, esteve "totalmente ausente" do G20. Por outras palavras: segundo o Presidente francês, que até pertence à mesma família política, o nosso homem em Bruxelas não risca nada. Factor de prestígio para Portugal? Fica à consideração dos dirigentes políticos portugueses que apoiam a sua recondução como presidente da Comissão Europeia: José Sócrates e Manuela Ferreira Leite. in http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/422736.html

...o nosso fado de sexta-feira!

isto ainda é noticia?

...este mundo começa a ficar maluco!

O mítico cachimbo de Mr. Hulot, uma das personagens cómicas mais amadas do cinema francês, foi censurado na publicidade da Metrobus... para não quebrar as leis antitabagistas de França.
para os menores dos “25” : Mr. Hulot, interpretado por Jacques Tati entre 1953 e 1951, é uma das personagens mais famosas do cinema francês, e para os fundamentalistas, duas imagens que não poderão ser publicadas!
Ridiculo!

decisão política levada a tribunal

O presidente da Câmara do Porto, eleito democraticamente, respondeu hoje perante o Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto, no âmbito do julgamento em que é arguido. A acção era movida pelo Teatro Arte Imagem, organização que eu e a maioria dos portugueses não conhecemos, e estava em causa está a proposta, reprovada pelo executivo camarário, de atribuição de um subsídio de 20 mil euros à companhia, para a organização do festival “Fazer a Festa” em 2006. Rui Rio mostrou-se indignado, a meu ver bem, acusando os tribunais de quererem alterar pela via jurídica decisões políticas tomadas por aqueles que foram legitimamente eleitos. Pouco a pouco as liberdades vão-se-nos reduzindo...agora até por via judicial!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

SOMOS LIVRES

"Não queremos fazer um ataque político a ninguém. A letra exprime mais um grito de revolta. E é um alerta para o estado da Justiça e para uma classe política em geral que, volta e meia, toma atitudes que deixam os cidadãos desamparados"."O grupo não poderia prever o impacto desta faixa do disco que celebra os 30 anos de carreira do colectivo e que será apresentado pela primeira vez ao vivo a 24 de Abril, no Seixal. Neste contexto, Zé Pedro insiste que qualquer aproveitamento da música para criticar e contestar o Governo não receberá a "solidariedade" dos Xutos.""Zé Pedro, que, diz, até "simpatiza" com o primeiro-ministro José Sócrates, aponta ainda que quando Tim, o vocalista, escreveu o texto para a música de Kalu, tiveram de optar entre "senhor engenheiro" e "senhor doutor": "Optámos por engenheiro por causa do actual primeiro-ministro, mas nunca quisemos fazer um ataque político directo." in incursoes ...estes não perceberam que deram musica e letra á crise e que “sem eira nem beira” já os ultrapassou! podem, agora, querer ser politicamente correctos, mas, qual “gaivota” que voou nos anos 74/75, introspectivaram desempregados e novos pobres! isto é, perderam-lhe a autoria... Vão-se lixar! Interessante ler o tempo repete-se assim como historia

europeu vital !

O cabeça-de-lista do ps às eleições europeias destacou a importância de ser coerente com aquilo que sempre defendeu. «Não podemos andar a fazer propostas e a defender valores com empenho e depois, quando somos solicitados a tentar levar à prática esses valores e essas convicções, recusarmo-nos por razões que não são demasiado fortes para o evitar», disse Vital Moreira, durante a apresentação do seu livro, “Nós, Europeus", onde marcaram presença vários elementos do Governo, deputados e presidentes de empresas. Na serimÓnia J.S.Pinto de Sousa, que se havia esquecido dos preciosos cartões que a empresa lhe prepara, referiu apenas que «Teremos tempo para discutir tudo, mas eu espero que nenhum partido aproveite este tempo para não discutir as questões europeias, porque vejo muita gente a não querer discutir as questões europeias apenas porque não sabe nada da Europa». é bom ler mais em: vital moreira: presente e passado

quarta-feira, 15 de abril de 2009

“Sem eira nem beira”

Canção dos Xutos e Pontapés está a ser transformada em manifesto contra José Sócrates Quem conhecer a discografia dos Xutos & Pontapés sabe que o cariz de intervenção e alerta social marcaram sempre presença nas letras das músicas. Mas os membros desta banda nunca quiseram vestir a roupagem de “líderes de uma revolução política”, nem apoiam, enquanto colectivo, qualquer partido político, assegura Zé Pedro, guitarrista dos Xutos. Por isso, é com alguma surpresa que o grupo assiste à euforia em torno da canção “Sem eira nem beira”, que integra o novíssimo álbum Xutos & Pontapés, disco de originais que foi lançado na passada semana. A música está a ser transformada na Internet como um manifesto de ataque ao Governo e a José Sócrates. “Não há aqui alvos a abater”, diz Zé Pedro, em resposta ao facto de o refrão começar com a frase Senhor engenheiro, dê-me um pouco de atenção. “Não queremos fazer um ataque político a ninguém. A letra exprime mais um grito de revolta. E é um alerta para o estado da Justiça e para uma classe política em geral que, volta e meia, toma atitudes que deixam os cidadãos desamparados”, justifica. Há partidos que estão a ponderar se vão usar a música em campanha eleitoral.

O gabinete do primeiro-ministro não comenta. Publico 14.04.2009 - 21h46 São José Almeida, Maria José Oliveira

terça-feira, 14 de abril de 2009

George Friedrich Händel: 250 anos!

Nuno...passaram dez anos!

Nuno Abecassis

para quê os 25?

em Sobre o tempo que passa vale a pena ler nao foi para isto que fizemos o vinte e cinco de abril

Vira o disco...

lido no 31 da Armada
13 de Dezembro de 2008 -
Conselho de Ministros extraordinário decide aumentar, de 70 para 100, as escolas onde serão iniciadas obras de requalificação em 2009. O anúncio foi feito pelo PM e a medida foi apresentada como uma das mais importantes no combate à crise. Sócrates deu tanto ênfase à questão que logo englobou o custo das obras de 100 escolas no pacote financeiro extraordinário "anti-crise", tendo-se mesmo "esquecido" que as verbas para cerca de 70 escolas já estavam inscritas no OE2009. Nem adianta relembrar, por isso, que o valor total do Plano Anti-Crise anunciado por Sócrates é, no mínimo, pouco rigoroso. 13 de Abril de 2009 - Sócrates voltou a reanunciar o mesmo plano, com as mesmas escolas, com o mesmo dinheiro, para a mesma crise. E os jornais e as televisões limitaram-se a replicar as palavras de Sócrates, que anunciava, como se pela primeira vez, a antecipação do início das obras. A segunda-feira traz sempre Sócrates a repetir anúncios, a puxar ou a agarrar-se a um ou outro Ministro.

Verão Quente de 2009

O Governador do Banco de Portugal aconselhou o Governo a dar garantias “tão cedo quanto possível” de que o défice orçamental não irá derrapar para níveis elevados após a estabilização das actuais condições económicas. Vítor Constâncio afirmou que “estes níveis elevados sugerem a necessidade de traçar antecipadamente uma estragégia credível que assegure o retorno a uma trajectória de consolidação orçamental sustentada após o actual período de forte contracção da actividade económica” . JN 14Abr09
este governo conseguiu levar-nos a 1975... mas tudo leva a crer que em 2009 não há Novembro!
atente-se a um panfleto desse ano...

frase do dia

"Quanto ao comunicado do G20, está lá quase tudo a que o 'cardápio' diplomático obrigava, à excepção do antídoto para a toxicidade que permanece no epicentro do sistema financeiro." António Bagão Félix, "Diário Económico", 13 de Abril de 2009
alguns, poucos, não se enganam...nem nos enganam!

acordo (?) ortográfico!

O relatório da Comissão Parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura, aprovado por unanimidade, recomenda que o plenário deve "apreciar" a petição contra o Acordo Ortográfico e que algumas das preocupações e sugestões ali referidas devem ser tomadas em conta.A iniciativa do escritor Vasco Graça Moura foi subscrita por 33.053 pessoas.O relator, Barreiras Duarte, considera que "as preocupações e os alertas dos peticionários devem ser tidos em conta, do ponto de vista técnico e político, a curto e a médio prazo" e que "o Governo deveria promover e valorizar, ao longo de todo o processo de aplicação do Acordo Ortográfico, a colaboração e parecer da comunidade científica e demais sectores cujo conhecimento ou actividade são de inegável utilidade". 13.04.2009 - 21h12 Lusa Relacionada com esta fica uma proposta que a Associação de Professores de Português enviou à Assembleia da República para seja aumentado de três para 4,5 horas semanais a carga horária da disciplina da Língua Nacional, ministrada entre o quinto e o nono anos. para que se aproxime dos valores médios da dos países ocidentais que integram a OCDE. O "documento de trabalho", como lhe chamou Paulo Feytor Pinto, propõe ainda que a avaliação seja feita através de "critérios nacionais onde se possam aferir as três competências ouvir/falar, ler e escrever e não com exames, como acontece actualmente. 13.04.2009 - 20h32 Lusa

segunda-feira, 13 de abril de 2009

projecto do Parque Escolar

Embora os alunos estivessem de férias, J. S. Pinto de Sousa deslocou-se ao Porto e á Escola Secundária Aurélia de Sousa onde apresentou o projecto de dinamização do Parque Escolar que tem como objectivo requalificar todas as escolas degradadas do país, informando que o governo decidiu antecipar a recuperação de cem escolas secundárias para dinamizar a economia. Para J.S. Pinto de Sousa, o programa vem dar «oportunidades de emprego a portugueses que se queiram empregar, mas também possa dar oportunidade de emprego e de actividade a muitas pequenas e médias empresas um pouco espalhadas por todo o país». Referindo-se à escola que visitava, no 4º mês do 9º ano do século 21, o presidente do conselho de ministros disse que «entrando nesta escola percebemos que nós estamos aqui a fazer uma escola do século XXI» e também que «Não queremos que a escola seja o último sítio a modernizar. Nós queremos que a escola esteja na linha da frente da modernidade tecnológica». Ficámos a saber que recuperação da escola Aurélio de Sousa custou ao Estado 8,5 milhões de euros que a terceira fase de Modernização do Parque Escolar está a decorrer com um orçamento de 1200 milhões de euros. De seguida foi visitar a Escola Secundária Carolina Michaelis, inaugurar o novo pavilhão desportivo Rodrigues de Freitas e o auditório do Conservatório de Música do Porto. Comparar com a noticia do Público em 21Fev2009: aqui!

a bomba relógio da deflação

A taxa de inflação homóloga em Portugal no mês de Março atingiu pela primeira vez em mais de 40 anos um valor negativo, ao fixar-se em menos 0,4 por cento, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Desde 1978 nunca a taxa de inflação homóloga tinha sido negativa. Analistas afastam, no entanto, que se esteja num cenário de deflação. Publico 13.04.2009 - 07h26 Por Vítor Costa O governador do Banco de Portugal, tal como vários analistas, já tinha avisado que Portugal teria durante alguns meses inflação negativa, afastando, contudo, uma situação de deflação. Este cenário, de descida generalizada dos preços, é, aliás, um dos grandes receios dos economistas já que, face à actual crise, os consumidores diminuem substancialmente os seus gastos. Por outro lado, mesmo os que conservam a sua capacidade de consumo tendem a adiar as suas compras uma vez que têm a expectativa de que os preços irão continuar a descer. Com a quebra do consumo, as empresas, ao não conseguirem vender, são levadas a reduzir a produção e a baixar ainda mais os preços na tentativa de escoar os seus produtos. Mas com menos necessidade de produção são levadas a não aumentar os salários dos seus funcionários ou mesmo a recorrerem a despedimentos. Sem aumentos salariais e com mais desemprego, a tendência é para que haja novos cortes no consumo, criando-se assim um ciclo vicioso de descida continuada dos preços e de abrandamento económico. Publico 13.04.2009 - 10h06 Por Vítor Costa alguém anda a gozar com a gente... então isto não é, exactamente, a definição clássica da temida deflação? ora bem, aqueles que no poleiro, não conseguiram prever ou esconderam a aproximação da crise, continuam a mostrar a sua ignorância ou, pior, a ocultar situações que a acontecerem porão em causa a independência nacional! até quando vamos continuar a ter mais do mesmo? Aqui fica uma nota para os “analistas” Apenas para os estudantes de economia, o termo deflação pode gerar dúvidas e isto porque raras vezes lhes explicam sobre o seu significado...e quando a deflação se apresenta eles não a irão reconhecer! Deflação é o oposto de inflação, que significa o aumento geral de preços. Isto é se o índice geral de preços ao consumidor sobe, pode-se dizer que houve inflação. Se os preços caem, houve deflação.A deflação está relacionada à queda da actividade económica, reflectida na perda de poder aquisitivo dos cidadãos, quando para evitar prejuízos maiores, as empresas, para esgotar os stocks, começam a praticar dumping de preços e, simultaneamente, os consumidores adiam as compras, para intervalos de tempo, progressivamente maiores! Haverá ainda alguém que não entenda que a conversa de funcionários acerca da "inflação" é apenas para nos distrair do muito mais perigoso dragão da deflação? Mike Shedlock, Mish's Global Economic Trend Analysis

domingo, 12 de abril de 2009

ABRUPTO

é sempre interessante ler o abrupto: coisas da sabado. altas-pressões baixas-pressões podemos não concordar, mas PP mantém-se coerente!

Perguntar não ofende

Perguntar não ofende

Este PS, e o outro...

este PS, e o outro.

Beijos roubados - o beijo com a música de Cat Power: The Greatest

EDIÇÃO IMPRESSA

Tácticas de intimidação a jornalistas ou defesa da honra? 10.04.2009, Maria José Oliveira Nas últimas semanas, Sócrates apresentou uma queixa-crime por difamação e uma acção cível. O alvo são quatro jornalistas e o PÚBLICO Ler no Publico Qual o valor das custas judiciais do processo? Foram pagas pelo cidadão J.S.C. Pinto de Sousa? e, já agora, também é aquele cidadão que pagar os honorários do advogado Daniel Proença de Carvalho?